PUBLICIDADE

Verstappen, cinco anos atrás: o mais jovem vencedor da F1

Max Verstappen se aproveitou da guerra interna na Mercedes para conquistar a vitória em sua primeira corrida pela Red Bull, aos 18 anos

15 mai 2021 14h16
ver comentários
Publicidade
Max Verstappen comemora sua primeira vitória no GP da Espanha de 2016.
Max Verstappen comemora sua primeira vitória no GP da Espanha de 2016.
Foto: Twitter

Max Verstappen começou na F1 muito jovem: com apenas 16 anos, em agosto de 2014, foi anunciado como piloto da Toro Rosso para o ano de 2015. Com 17 anos já completados, fez três sessões de treinos livres ainda em 2014, no Japão, Estados Unidos e Brasil. Em seu primeiro ano na categoria, Verstappen terminou em 12° lugar, com 49 pontos, contra 18 do seu companheiro de equipe, o também novato Carlos Sainz Jr. 

Max iniciou seu segundo ano ainda na Toro Rosso, mas logo isso viria a mudar. Seu pai, Jos, pressionava Helmut Marko, chefe do programa de pilotos da Red Bull, a efetivar seu filho. Por outro lado, Daniil Kvyat, piloto titular da Red Bull não estava em um bom momento. Depois de quatro etapas, houve a troca: Max subiu e Kvyat foi rebaixado. Max agora teria Daniel Ricciardo como companheiro de equipe. 

A Mercedes foi dominante naquela temporada, com uma distância muito grande para o resto do grid: Nico Rosberg venceu as quatro primeiras corridas da temporada e Lewis Hamilton buscava recuperação. Ele tinha sido muito prejudicado por problemas técnicos na qualificação em duas etapas, além de ter levado um toque de Bottas (Williams) no Bahrein. O GP da Espanha era como uma grande chance de se recuperar. 

Na Espanha, Verstappen já mostrava um bom desempenho nos treinos livres, com uma boa adaptação ao carro da Red Bull. Na qualificação Hamilton foi o pole, com 1min22s000, seguido por Rosberg, com 1min22s280, Ricciardo, com o 1min22s680, Max, com 1min23s087, depois vinham  os carros da Ferrari: Kimi Raikkonen e Sebastian Vettel . 

Na largada, Rosberg partiu para cima de Hamilton e conseguiu ultrapassar por fora na curva 1. Na curva 3, o carro de Rosberg entrou em modo de recuperação de energia acidentalmente, com isso ele perdeu velocidade. Desesperado, tentou fechar Hamilton, o britânico foi para a grama e rodou. Com o carro de lado, acabou voltando para a pista e acertou Rosberg: os dois foram para fora da pista e abandonaram.

Acidente entre os dois carros da Mercedes abriu caminho para vitória de Max.
Acidente entre os dois carros da Mercedes abriu caminho para vitória de Max.
Foto: F1 / Divulgação

Atrás dessa briga, Vettel largou bem e roubou a posição de Verstappen, mas o holandês recuperou a posição na curva 3. Carlos Sainz Jr. (Toro Rosso), que tinha partido em oitavo, estava logo atrás de Vettel e conseguiu ultrapassar antes do acionamento do Safety Car. 

Com a saída dos líderes, Ricciardo assumiu a ponta, seguido por Verstappen, Sainz, Vettel e Raikkonen. Após três voltas, o Safety Car saiu da pista e as posições não mudaram entre os cincos primeiros. Mas o ritmo mais lento de Sainz fazia com que Vettel e Raikkonen perdessem tempo. Vettel só conseguiu passar na volta 8 e Raikkonen apenas na volta 10. 

Ricciardo parou na volta 11, seguido por Verstappen e Raikkonen na volta seguinte. Vettel ficou na pista por mais três voltas. Todos estavam largando de pneus macios e trocaram pelos médios, mantendo as posições. Mas nesse segundo stint, Ricciardo não rendeu tão bem, com Verstappen e Vettel  encostando no líder.  

Na volta 28, Ricciardo foi para sua segunda parada, voltando com pneus macios. A Ferrari reagiu e, na volta seguinte, fez o mesmo com Vettel. Na volta 34, Verstappen parou, voltando com pneus médios, estratégia adotada também por Raikkonen na volta seguinte. Na frente, Ricciardo estava sendo perseguido por Vettel, Max estava a 12s416 e Raikkonen a 16s332. Na volta 37, Vettel parou novamente, apenas nove voltas depois de sua segunda parada, colocando pneus médios. 

A Ferrari tinha visto que a estratégia adotada com Vettel não estava dando certo e voltou em quarto. Já a Red Bull preferiu manter Ricciardo na pista, o que se tornou um erro, já que Verstappen e Raikkonen estavam se aproximando e Vettel já tinha encurtado a distância o suficiente para quando o australiano fizesse sua parada, voltasse atrás dele. Daniel só parou na volta 43, deixando a briga pela a vitória.

Barcelona não é uma pista muito fácil de ultrapassar e isso ficou claro nos momentos finais da prova, Raikkonen pressionava Verstappen, mas não conseguia passar, atrás o mesmo acontecia entre Ricciardo e Vettel, com a diferença que o australiano tinha pneus mais novos. Na volta 65, o pneu de Ricciardo furou, o forçando a parar novamente, mas ainda voltando em quarto.

Após 66 voltas, Max Verstappen cruzou a linha de chegada em primeiro, batendo o recorde de vencedor mais novo da história, com 18 anos, 7 meses e 15 dias. O recordista anterior era Sebastian Vettel, que tinha conquistado o feito no GP da Itália de 2008, com 21 anos, 2 meses e 11 dias. Raikkonen e Vettel completaram o pódio e a volta mais rápida, ironicamente, foi de Daniil Kvyat. Exatamente o piloto que tinha trocado de posto com Max.

Parabólica
Publicidade
Publicidade