0

Receita do Uber cresce e anima investidores, apesar de prejuízo

Embora as contas ainda estejam no vermelho, empresa vem registrando diminuição nas perdas trimestre após trimestre; segmento de caronas já é lucrativo

6 fev 2020
19h45
  • separator
  • 0
  • comentários

Nos últimos meses, a empresa de transporte por aplicativo Uber vive um desafio: mostrar aos investidores que pode dar lucro. Nesta quinta-feira, 6, a companhia comandada por Dara Khosrowshahi mostrou que não conseguiu completar a tarefa no quatro trimestre de 2019, registrando prejuízo de US$ 1,1 bilhão entre outubro e dezembro de 2019. Apesar disso, o mercado financeiro não perdeu as expectativas na empresa, que registrou aumento de 37% em sua receita no período, na comparação com o mesmo trimestre de 2018. Para analistas, os números mostram que a empresa está em um caminho interessante - o que levou as ações da companhia a subirem 4% após o fechamento do mercado.

Outro fator que ajudou a companhia foi a redução das perdas. Nos dois trimestres anteriores, a empresa havia registrado prejuízo de US$ 5 bilhões e US$ 1,2 bilhão. Além disso, é importante considerar que a divisão de viagens urbanas do Uber já é lucrativa por si só - o que afeta o desempenho da empresa hoje são os gastos com o serviço de entrega de refeições (UberEats), custos administrativos e também pesquisa e desenvolvimento. Só o Uber Eats, por exemplo, teve perda de US$ 461 milhões no período.

"Reconhecemos que a era do crescimento a todo custo acabou" disse Dara Khosrowshahi, presidente executivo do Uber, em comunicado. "Estou satisfeito com nosso progresso, cumprindo firmemente os compromissos que assumimos com nossos acionistas em nosso caminho para a lucratividade". Em novembro do ano passado, Khosrowshahi disse que a meta da empresa era registrar lucro em 2021.

"Finalmente, o Uber demonstrou um grande passo rumo à lucratividade", disse Dan Ives, analista da corretora Wedbush Securities, em nota a investidores. "Dara e seus funcionários mostram que o lucro e a redução das perdas com o Uber Eats serão o foco em 2020 e além."

O aplicativo de transporte registrou receita de US$ 4,07 bilhões no quarto trimestre, superior à estimativa de analistas, que era de US$ 4,06 bilhões - no mesmo período do ano anterior, a empresa arrecadou US$ 2,9 bilhões. A maior parte da receita do Uber no trimestre veio dos Estados Unidos e do Canadá: a empresa arrecadou US$ 2,5 bilhões na região. A América Latina é o segundo mercado mais importante do Uber, com US$ 553 milhões em receita.

Viagens

O relatório mostra que a receita da empresa vem principalmente do serviço de caronas, que está disponível hoje em 700 cidades ao redor do mundo: o número de viagens pelo aplicativo cresceu 28% no trimestre, para mais de 1,9 bilhão, e a receita cresceu 27%, para mais de US$ 3 bilhões.

A companhia também disse que tem hoje cerca de 111 milhões de usuários ativos mensais no mundo.

O Uber fez parte de um grupo de startups do Vale do Silício que abriu capital do ano passado, colocando seus negócios à prova do mercado. Além das dificuldades financeiras, a empresa enfrenta problemas de regulação em vários países, devido ao tipo de parceria que mantém com seus motoristas.

Veja também:

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade