PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

PF conclui que sírios-brasileiros recrutaram pessoas para possíveis ataques terroristas

Uma decisão da 2ª Vara Federal Criminal de Belo Horizonte indica que Mohamad Khir Abdulmajid e Lucas Passos Lima monitoravam espaços ligados à comunidade judaica no Brasil

8 dez 2023 - 10h58
Compartilhar
Exibir comentários

A Polícia Federal (PF) concluiu, após um mês de investigações, que dois sírios naturalizados brasileiros foram os responsáveis pelo recrutamento de pessoas no Brasil para possíveis ataques terroristas contra judeus.

(
(
Foto: Reprodução / Perfil Brasil

Mohamed Khir Abdulmajid e Lucas Passos Lima recrutaram três brasileiros, que foram levados para o Líbano, onde fica a base do grupo radical islâmico Hezbollah. As informações são da Divisão de Enfrentamento ao Terrorismo da PF obtidas pela CNN.

"É justamente no fato de Mohamed Khir Abdulmajid e Lucas Passos Lima serem os protagonistas na criação de uma rede nacional ligada ao grupo terrorista estrangeiro que se encontram os fundamentos para a decretação de prisão preventiva. Postos que, se soltos, continuarão exercendo a influência que conquistaram para expandir a organização terrorista em formação no Brasil, além de poderem dar continuidade aos atos preparatórios de terrorismo já iniciados", disse a juíza Raquel Vasconcelos Alves de Lima.

Lucas Passos Lima também adquiriu dispositivos de espionagem e vigilância, além de praticar tiro com arma de fogo. Ele foi preso no Aeroporto de Guarulhos assim que voltou de uma viagem a Beirute.

Mohamed está foragido na Difusão Vermelha da Interpol. Como a Polícia Federal suspeita de que ele pode ter fugido do Brasil para o Líbano no fim de outubro, houve o pedido de inclusão do nome dele entre foragidos internacionais.

A Justiça também decidiu pela soltura de outros dois investigados: Jean Carlos de Souza e Michael Messias, que, segundo a PF, colaboraram com as investigações e não oferecem risco à sociedade. Eles revelaram à PF detalhes da organização para futuros ataques contra judeus.

Perfil Brasil
Compartilhar
Publicidade
Publicidade