PUBLICIDADE

Mundo

Taylor Swift apoiará Biden este ano? Ele diz que essa informação é "confidencial"

27 fev 2024 - 15h01
Compartilhar
Exibir comentários

O presidente norte-americano, Joe Biden, brincou com as teorias da conspiração sobre ele e a superestrela Taylor Swift durante entrevista em um programa de televisão noturno e tinha a resposta pronta ao ser questionado se ela o apoiará em 2024: isso é confidencial.

Durante uma aparição no programa "Late Night with Seth Meyers" da emissora NBC na segunda-feira, o democrata Biden brincou com o comediante Meyers sobre as teorias da conspiração de que o presidente e a cantora e compositora estariam em "conluio". Meyers disse que pesquisas de opinião recentes mostraram que 18% dos norte-americanos acreditam que Biden e Swift estão trabalhando juntos de alguma maneira.

"Você pode confirmar ou negar que há uma conspiração em andamento entre você e a senhorita Swift?", perguntou Meyers a Biden.

"Onde você conseguiu essa informação?", brincou o presidente, aos risos. "É confidencial."

Swift, cuja imensa popularidade com os jovens seria um impulso ao presidente que concorrerá à reeleição em 2024, apoiou Biden em 2020, como o presidente destacou com satisfação.

"Você acha que pode acontecer novamente?", perguntou Meyers.

"Eu disse, é confidencial", respondeu Biden.

A ida de Biden ao programa, gravado na segunda-feira e veiculado nas primeiras horas de terça, é a mais recente tentativa do presidente de se conectar com o público mais jovem e afastar preocupações sobre a sua idade, após o relatório de um procurador especial levantar dúvidas sobre sua memória e acuidade mental.

Biden, de 81 anos, mencionou que o ex-presidente Donald Trump, seu provável rival republicano de 77 anos, está próximo a ele em idade e teve seus próprios deslizes verbais.

"Você tem que olhar para o outro cara. Ele é quase tão velho quanto eu, mas ele nem consegue lembrar o nome da esposa", disse Biden, fazendo referência a uma aparição recente de Trump em uma conferência política conservadora na qual alguns acharam que ele chamou sua esposa, Melania, de "Mercedes".

Mercedes Schalpp, ex-autoridade de comunicação da Casa Branca de Trump, é uma das organizadoras da conferência. A referência do presidente pode ter sido a ela.

Biden também tentou abordar sua idade comparando suas políticas com as de Trump em áreas como aborto. Biden defende o direito das mulheres ao aborto; Trump se orgulhou de ter indicado três novos juízes à Suprema Corte durante seu mandato que acabaram ajudando a revogar a histórica decisão Roe v. Wade que garantia o direito ao aborto nacionalmente.

"É sobre quão velhas suas ideias são. Veja, quero dizer, esse é um cara que quer nos levar para trás", disse Biden, sobre Trump. "Ele quer nos levar para trás em Roe v. Wade. Ele quer nos levar para trás em uma série de questões."

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade