PUBLICIDADE

Mundo

Príncipe William expressa preocupação com aumento do antissemitismo no Reino Unido

29 fev 2024 - 13h19
(atualizado às 13h34)
Compartilhar
Exibir comentários

O príncipe britânico William disse que estava extremamente preocupado com o aumento do antissemitismo no Reino Unido durante uma visita a uma sinagoga de Londres nesta quinta-feira, quando retornou às funções públicas dois dias depois de misteriosamente se retirar de um evento real de alto nível.

Uma semana depois que o herdeiro do trono pediu o fim da guerra entre Israel e Hamas em Gaza, dizendo que "muitos já foram mortos", William se encontrou com jovens embaixadores do Holocaust Educational Trust, que estão tentando combater o ódio em meio ao aumento de abusos e ataques à comunidade judaica britânica.

"Catherine e eu estamos extremamente preocupados com o aumento do antissemitismo sobre o qual vocês falaram esta manhã e lamento muito se algum de vocês teve que passar por isso", disse o príncipe.

"É por isso que estou aqui hoje para garantir a todos vocês que as pessoas se importam e as pessoas ouvem."

Durante sua visita à Sinagoga Western Marble Arch, o príncipe, que usava um quipá, conheceu sobreviventes do Holocausto e ouviu estudantes judeus contarem como houve o que um deles descreveu como uma "explosão" de antissemitismo, incluindo ameaças de morte e agressões.

Na quarta-feira, o primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, anunciou 54 milhões de libras em novos recursos para proteger as comunidades judaicas, depois que os números mostraram que os incidentes antissemitas atingiram um recorde no Reino Unido no ano passado.

A intervenção incomumente direta de William na semana passada sobre o conflito em Gaza, com seu apelo à paz e à libertação de todos os reféns pelo Hamas, gerou manchetes internacionais, já que a realeza, por convenção, evita assuntos políticos polêmicos.

Mas depois de se tornar o primeiro membro graduado da realeza britânica a fazer uma visita oficial a Israel e ao território palestino ocupado em 2018, ele acompanhou a região de perto e quis se manifestar sobre o sofrimento humano causado, disse seu gabinete.

ESPECULAÇÃO

Sua aparição e a referência à sua esposa Kate ocorrem depois que ele se retirou de um serviço memorial no Castelo de Windsor para seu padrinho, o falecido rei Constantino da Grécia, na terça-feira, por causa de um "assunto pessoal", provocando intensa especulação nas mídias sociais.

William, de 41 anos, não havia retornado ao trabalho público há muito tempo, depois de ter adiado uma série de compromissos após a cirurgia abdominal de sua esposa Kate no mês passado, uma operação que ocorreu pouco antes de seu pai, o Rei Charles, revelar que estava fazendo tratamento para uma forma não especificada de câncer.

Fontes do palácio disseram que a ausência de William na cerimônia fúnebre não estava ligada à doença do pai e que Kate, que não é vista em público desde o dia de Natal, continua bem.

A realeza britânica raramente divulga detalhes de quaisquer condições médicas, considerando-as assuntos puramente particulares, mas alguns comentaristas da realeza disseram que os problemas enfrentados pela realeza estavam causando inquietação.

"As más notícias, como diz o provérbio, vêm em três. Um rei lutando contra o câncer, uma princesa acometida por uma doença debilitante desconhecida e um príncipe desaparecido sem nenhuma explicação para sua ausência contribuíram para uma atmosfera febril e perigosamente instável", escreveu Richard Kay no jornal Daily Mail.

"A mais superficial das olhadas para a especulação desenfreada nas mídias sociais deve persuadir até mesmo o mais inflexível dos assessores reais de que sempre que houver um vácuo em torno de uma figura pública, ele será preenchido."

Liderando a família em meio às ausências de alto nível está a esposa de Charles, a rainha Camilla, que na quinta-feira se encontrou com Olena Zelenska quando a primeira-dama da Ucrânia agradeceu a ela pela mensagem de apoio do rei no segundo aniversário do conflito com a Rússia.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade