0

Papa nomeia 6 mulheres para Conselho de Economia do Vaticano

Arcebispo brasileiro Odilo Scherer também fará parte do órgão

6 ago 2020
10h55
atualizado às 11h22
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O papa Francisco nomeou 13 novos membros, entre os quais seis mulheres, para o Conselho de Economia do Vaticano nesta quinta-feira (06). O órgão foi criado pelo próprio Pontífice em 2014 para vigiar as estruturas e as atividades financeiras e administrativas da Santa Sé.

Papa nomeou os 13 novos membros do Conselho de Economia do Vaticano
Papa nomeou os 13 novos membros do Conselho de Economia do Vaticano
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

Ao todo, o Conselho tem 15 membros, sendo que oito deles são religiosos (cardeais ou bispos) e outros sete são especialistas internacionais em temas ligados ao setor.

O anúncio de hoje manteve o cardeal Reinhard Marx, arcebispo de Munique e Freising (Alemanha) como coordenador do grupo e também o cardeal Wilfrid Foix Napier, arcebispo de Durban (África do Sul).

Os sete laicos escolhidos foram a professora alemã da Universidade de Düsseldorf Charlotte Kreuter-Kirchhof; a presidente do Bundesverbandes der Deutschen Volksbanken und Raiffeisenbanken (BVR), a alemã Marija Kolak; a presidente do Conselho de Administração do Azora Capital e Azora Gestão, a espanhola Maria Concepcion Osacar Garaicoechea; a advogada e investidora, membro dos conselhos de diretoria da Bankia, Zardoya Otis e da Fundação Comillas-ICAI e Fundação Entreculturas, a espanhola Eva Castillo Sanz; a britânica Ruth Mary Kelly, que atua na St. Mary's University, de Londres, e tem experiência no governo britânico como secretária de Educação (2004-2008), bem como no HSBC ; a ex-tesoureira do Príncipe Charles (2015-2017) Lesile Jane Ferrar; e o ex-diretor geral e ex-chefe de investimento financeiro do "Gruppo Generali" o italiano Alberto Minali.

Entre os religiosos, o Papa nomeou o arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer, o arcebispo de Esztergom-Budapeste (Hungria), Péter Erdõ, o arcebispo de Quebec (Canadá), Gérald Cyprien Lacroix, o arcebispo de Newark (EUA), Joseph William Tobin; o bispo de Estocolmo (Países Baixos), Anders Arborelius; e o arcebispo de L'Aquila (Itália), Giuseppe Petrocchi. .
   

Veja também:

Os traumáticos testes forçados de virgindade no Egito
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade