PUBLICIDADE

Mundo

Cirurgia abdominal no Papa Francisco foi bem-sucedida, diz médico

7 jun 2023 - 07h38
(atualizado às 16h32)
Compartilhar
Exibir comentários

O papa Francisco passou por uma cirurgia de três horas em um hospital de Roma nesta quarta-feira para reparar uma hérnia, que os médicos disseram ter tido sucesso o suficiente para que ele não tenha limitações em suas viagens e outras atividades depois de se recuperar.

"Ele até brincou comigo sobre quando faríamos a terceira operação", disse o cirurgião-chefe, Sergio Alfieri, falando sobre o bom humor e o estado de alerta do papa ao acordar.

Falando a repórteres no hospital Gemelli, Alfieri referia-se ao fato de que a hérnia foi causada por cicatrizes de uma operação abdominal em 2021.

O cirurgião disse que Francisco, de 86 anos, reagiu bem à anestesia geral e que esperava que o papa ficasse no hospital por cerca de 5 a 7 dias.

Mas ele alertou que, embora forte, o papa é idoso e recentemente teve bronquite, então "tomaremos todas as precauções necessárias" em relação à internação.

Francisco, que tem duas viagens planejadas para os próximos meses, foi levado ao hospital após sua audiência geral semanal na Praça de São Pedro, onde não deu nenhum sinal de que estava prestes a ser internado para uma cirurgia planejada.

A operação ocorreu no hospital administrado por católicos a uma pequena distância do Vaticano e que tem uma suíte no 10º andar reservada para papas.

É a terceira internação de Francisco desde que os cardeais escolheram o argentino em 2013 como o primeiro papa latino-americano, sendo o caso mais recente de uma série de problemas com sua saúde.

AUDIÊNCIAS CANCELADAS ATÉ MEADOS DE JUNHO

O Vaticano disse que todas as audiências privadas e gerais do papa foram canceladas até 18 de junho. Em sua intrernação em 2021, no entanto, Francisco recitou a tradicional oração dominical de uma sacada do hospital.

Um comunicado divulgado na manhã desta quarta-feira disse que a cirurgia era necessária para reparar uma laparocele, uma hérnia que às vezes se forma sobre uma cicatriz, geralmente resultante de uma cirurgia anterior. Ela é mais comum em pessoas idosas e também pode ser causada por obesidade ou fraqueza dos músculos da parede abdominal.

Alfieri disse que o próprio papa decidiu na terça-feira passar pela cirurgia no dia seguinte, depois de realizar um exame no mesmo hospital.

A condição do papa estava causando obstruções intestinais dolorosas, disse Alfieri, acrescentando que estava piorando "continuamente".

O papa passou por uma laparotomia, ou cirurgia abdominal aberta, e uma prótese foi usada para reconstruir a parede abdominal

Em julho de 2021, ele teve parte de seu cólon removido em uma operação destinada a tratar de uma condição intestinal dolorosa chamada diverticulite. Ele disse neste ano que a condição havia retornado e estava afetando seu peso.

Ele foi tratado por cinco dias no mesmo hospital no final de março com uma infecção pulmonar e, no mês passado, não compareceu às audiências por um dia devido a uma febre.

O papa também usa frequentemente uma cadeira de rodas ou uma bengala para caminhar devido a dores persistentes no joelho. No ano passado, ele não quis operar o joelho porque a anestesia geral para a cirurgia no cólon trouxe efeitos colaterais desagradáveis.

No sábado, o Vaticano anunciou planos para que ele visite a Mongólia de 31 de agosto a 4 de setembro, um dos lugares mais remotos para onde ele já viajou.

Antes disso, ele deve visitar Portugal de 2 a 6 de agosto para participar da Jornada Mundial da Juventude em Lisboa e visitar o Santuário de Fátima. Na terça-feira, o Vaticano divulgou uma programação oficial da viagem, dando a entender que ela estava confirmada.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade