PUBLICIDADE

Motoboy brasileiro morre vítima de racha entre carros em Londres

Amigos de Marcos Mateus Matos Menezes Alves, de 25 anos, fizeram vaquinha virtual para levar corpo ao Brasil; envolvidos na colisão foram libertados enquanto aguardam julgamento.

3 jun 2021 14h28
| atualizado às 16h04
ver comentários
Publicidade
Amigos de Marcos Mateus Matos Menezes Alves, de 25 anos, fizeram vaquinha virtual para levar corpo ao Brasil
Amigos de Marcos Mateus Matos Menezes Alves, de 25 anos, fizeram vaquinha virtual para levar corpo ao Brasil
Foto: Acervo pessoal/Mateus Alves / BBC News Brasil

Uma colisão entre dois carros que faziam um racha no sul de Londres matou o motoboy brasileiro Marcos Mateus Matos Menezes Alves, de 25 anos, no último sábado (29/5). Ele deixa duas filhas, de cinco e dois anos. Amigos fizeram uma vaquinha virtual para arrecadar recursos para levar seu corpo ao Brasil.

Segundo um comunicado divulgado à imprensa pela Metropolitan Police, a polícia de Londres, citando o inspetor Chris May, da Unidade de Investigação de Colisão Grave, "a batida aconteceu em um local muito movimentado e em uma hora movimentada do dia. Tenho certeza de que várias pessoas testemunharam a colisão ou os eventos que levaram a ela".

"Eu pediria a essas pessoas na área ou com imagens da câmera do painel para contatar a polícia. Sua informação pode ser vital para nos ajudar a entender a causa desse trágico incidente."

O comunicado acrescenta que "a polícia foi chamada às 16h21 do último sábado (29/5) com relatos de uma colisão de carro com uma motocicleta na Avenida St. Helier, perto de Netley Gardens, em Morden (sul de Londres)".

"Policiais, o Serviço de Ambulância de Londres e a Ambulância Aérea de Londres compareceram. Apesar dos esforços, Mateus foi declarado morto no local às 17h01".

"Nesta fase inicial, acredita-se que dois carros estavam viajando em alta velocidade antes de um deles colidir com a motocicleta", conclui a nota.

Os dois homens envolvidos na colisão foram detidos por "condução perigosa". Eles prestaram depoimento e foram libertados enquanto aguardam julgamento. Seus nomes não foram divulgados.

Questionada pela BBC News Brasil, a Met police informou que "uma vez que um indivíduo seja (formalmente) acusado de um delito, e desde que ele seja um adulto, seus dados serão disponibilizados".

"Os dois homens foram libertados sob investigação, enquanto os detetives realizam novas investigações", diz a corporação.

Segundo amigos, Mateus era muito "batalhador"
Segundo amigos, Mateus era muito "batalhador"
Foto: Acervo pessoal/Mateus Alves / BBC News Brasil

'Batalhador'

Segundo amigos da vítima ouvidos pela BBC News Brasil, Alves era "muito batalhador". Natural de Unaí, no interior de Minas Gerais, ele chegou a Londres em 2019 e havia legalizado sua situação migratória no Reino Unido recentemente. Tinha dois empregos: era entregador de comida e trabalhava em um restaurante.

"Mateus trabalhava muito e não era de sair para beber. Ele só pensava em ajudar a família no Brasil. Falava que seu sonho era trazer as filhas para estudar aqui", diz Douglas Dias, com quem Mateus dividia casa.

Mateus passava o tempo livre jogando futebol e tocando violão. "Ele tinha alma de artista", diz outro amigo, Raul Broleze.

Broleze tomou a iniciativa de criar a vaquinha virtual para arrecadar recursos para levar o corpo ao Brasil. A meta, de 16 mil libras (R$ 115 mil), já foi alcançada e o restante será doado à família da vítima.

"Já recebemos o orçamento e estamos cuidando dos trâmites burocráticos agora. O corpo dele deve demorar de duas a três semanas para chegar ao Brasil", diz.

Os amigos realizaram um protesto na última segunda-feira (1/6) em memória de Mateus e para cobrar as autoridades que a investigação seja concluída.

Segundo a Met police, "a investigação sobre a colisão continua em andamento".

"Os policiais falaram com várias testemunhas, mas acreditam que outros motoristas podem fornecer informações valiosas", informou a corporação à BBC News Brasil.

BBC News Brasil BBC News Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC News Brasil.
Publicidade
Publicidade