PUBLICIDADE

Maior operadora de planos de saúde de Nova York demite 1.400 funcionários não vacinados

4 out 2021 19h27
ver comentários
Publicidade

A maior operadora de planos de saúde do Estado Nova York, a Northwell Health, demitiu 1.400 funcionários que se recusaram a tomar a vacina contra a Covid-19, disse o porta-voz da empresa, Joe Kemp, nesta segunda-feira.

Vacinação de funcionários da Northwell Health em Nova York
14/12/2020
REUTERS/Brendan Mcdermid
Vacinação de funcionários da Northwell Health em Nova York 14/12/2020 REUTERS/Brendan Mcdermid
Foto: Reuters

Assim como em outras operadoras que também dispensaram trabalhadores que não cumpriram com a exigência de vacinação, os empregados despedidos representam uma pequena porcentagem da força de trabalho da Northwell, que tem mais de 76 mil funcionários, todos agora imunizados. 

A obrigatoriedade da vacinação para trabalhadores de saúde entrou em vigor na semana passada em Nova York. Vários outros Estados, incluindo a Califórnia, impuseram medidas similares. 

Autoridades atribuíram o aumento no número de vacinados às exigências, embora um pequeno número de funcionários tenha decidido que prefere perder o emprego do que se vacinar. 

A Northwell anunciou a obrigatoriedade da vacinação em agosto, semanas antes do decreto estadual. A exigência da empresa se estende tanto para os funcionários clínicos como para os não clínicos. 

"Nosso objetivo não era demitir empregados", disse Kemp. "Nosso objetivo era fazer com que as pessoas se vacinassem".

Kemp disse que as demissões não terão impacto nos cuidados a pacientes em 23 hospitais da Northwell e em outras instalações.

"A Northwell lamenta perder qualquer funcionário sob tais circunstâncias", disse a empresa em nota. "Devemos isso à nossa equipe, aos pacientes e comunidades que servimos: precisamos estar 100% vacinados contra a Covid-19".

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade