PUBLICIDADE

Mundo

Governador italiano pede revogação de prisão domiciliar

Giovanni Toti é alvo de inquérito sobre corrupção

10 jun 2024 - 15h39
(atualizado às 15h45)
Compartilhar
Exibir comentários

A defesa do governador da região italiana da Ligúria, Giovanni Toti, de centro-direita, protocolou nesta segunda-feira (10) um pedido de revogação da prisão domiciliar na qual o político se encontra desde 7 de maio.

    O pedido foi feito pelo advogado Stefano Savi. Toti está em sua casa em Ameglia, em La Spezia.

    Uma das alegações apresentadas foi a de que não há risco de fuga de Toti tendo em vista a proximidade das próximas eleições para o cargo que ele ocupa, em um ano e meio.

    "Se considerarmos esse futuro compromisso político, é evidente que a suspensão da função de governador vinculada à medida cautelar se caracterizaria como uma verdadeira destituição, não prevista pela lei justamente para proteger a vontade popular expressa por meio de eleições livres", disse o defensor.

    O político e jornalista é acusado de ter recebido 74,1 mil euros (R$ 405 mil) e promessas de financiamento dos empresários dos setores logístico e imobiliário Aldo e Roberto Spinelli, em troca de favores do poder público, incluindo a privatização de uma praia na costa lígure, a facilitação dos trâmites para a construção de um complexo imobiliário e a renovação da concessão de um terminal portuário em Gênova, capital da região. .

Ansa - Brasil   
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade