4 eventos ao vivo

Estado australiano impõe multas pesadas para forçar isolamento

4 ago 2020
11h53
atualizado às 12h17
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Estado de Vitória, segundo mais populoso da Austrália, anunciou nesta terça-feira que quem não cumprir as ordens de isolamento por causa da Covid-19 receberá pesadas multas, de até 20.000 dólares australianos (cerca de 14.250 dólares), e que mais militares serão alocados para enfrentar a disseminação do vírus.

Primeiro-ministro do Estado de Vitória, Daniel Andrews
21/12/2017
REUTERS/Luis Ascui
Primeiro-ministro do Estado de Vitória, Daniel Andrews 21/12/2017 REUTERS/Luis Ascui
Foto: Reuters

A Austrália, que chegou a ser anunciada como líder global na contenção da Covid-19, está desesperadamente tentando desacelerar a disseminação do vírus em Vitória para evitar uma segunda onda nacional de infecções.

No começo desta semana, o Estado de Vitória impôs um toque de recolher noturno, apertou restrições a movimentações diárias das pessoas e ordenou que grandes partes da economia local fechassem as portas para desacelerar a disseminação do coronavírus.

No entanto, quase um terço dos infectados por Covid-19 não estava se isolando em casa quando houve a checagem das autoridades, exigindo novas punições duras, afirmou o primeiro-ministro de Vitória, Daniel Andrews, nesta terça-feira.

Multas de quase 5.000 dólares australianos serão emitidas para quem violar as ordens para ficar em casa. Em caso de reincidência, a multa pode chegar a 20.000 dólares australianos.

"Não há literalmente motivo algum para você sair de sua casa e, se você sair de casa e não for encontrado nela, terá dificuldades para convencer a polícia de Vitória de que tinha um motivo legítimo", disse Andrews a repórteres em Melbourne.

A única exceção será para tratamento médico urgente, disse Andrews, acrescentando que qualquer um sob ordens de autoisolamento não terá mais permissão para sair de casa para exercícios ao ar livre.

"Ar fresco na porta de casa. Ar fresco no seu jardim ou abrindo a janela", disse.

Andrews afirmou que mais 500 militares desarmados serão deslocados esta semana para Vitória para auxiliar a polícia a ter certeza que as ordens de autoisolamento estão sendo cumpridas.

O último deslocamento militar se juntará a aproximadamente 1.500 militares que já estão em Vitória rastreando contatos, testando e auxiliando a polícia em pontos de checagem. A Austrália deslocou quase 3.000 militares para ajudar em operações logísticas contra o vírus.

A Austrália registrou quase 19.000 casos de Covid-19 e 232 mortes, muito menos do que muitas outras nações desenvolvidas, após fechar suas fronteiras internacionais bem cedo, impor restrições e distanciamento social e testes em massa.

Mas, à medida em que o país começou a reabrir, a transmissão comunitária cresceu significativamente em Vitória, que registrou três dígitos de novos casos durante semanas. Tem agora o grosso de infecções no país, com quase 12.000 casos relatados. Na terça-feira, Vitória registrou 439 novos casos de Covid-19 nas 24 horas anteriores.

Andrews disse que 11 pessoas morreram por causa do vírus desde segunda-feira, levando o total de mortes a 136. O vírus espalhou-se pelos estabelecimentos de tratamento a idosos de Vitória, com muitas das mortes entre pessoas de idade avançada.

Autoridades estatais de Vitória disseram que a última onda de infecções de Covid-19 foi causada por moradores se recusando a aderir a restrições aos seus movimentos.

"Há muitas pessoas que conscientemente violaram o toque de recolher - então, alguém que decidiu que estava entediado e saiu para dar uma volta de carro, alguém que decidiu que precisava comprar um carro às 20:00 da noite passada", disse a ministra da Polícia de Vitória, Lis Neville, a repórteres, em Melbourne.

Preocupada que muitas pessoas sentem que não têm escolha a não ser continuar trabalhando após um diagnóstico de Covid-19, a Austrália disse, na segunda-feira, que pagaria 1.500 dólares australianos para as pessoas ficarem em casa, se forem ordenadas a fazer isso e não tiverem licença médica disponível.

Muitas fronteiras internas entre Estados foram fechadas, o que até agora fez com que a nova onda de infecções se limitasse majoritariamente a Vitória, com o Estado vizinho de Nova Gales do Sul relatando o segundo maior número de casos.

Nova Gales do Sul registrou 12 novos casos na terça-feira, embora todos os casos possam ser rastreados a surtos conhecidos, alguns dos quais começando por pessoas infectadas que saíram de Vitória.

Veja também:

Em mensagem, embaixador Arman Akopian lembra 29 anos da independência da Armênia
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade