PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Mundo

Eleitores indianos querem empregos e preços mais baixos, mostra pesquisa

12 abr 2024 - 14h21
Compartilhar
Exibir comentários

O desemprego e a inflação são as principais preocupações dos eleitores indianos, mas a forte liderança do primeiro-ministro Narendra Modi, a agenda nacionalista hindu de seu partido e a crescente estatura global da Índia provavelmente ajudarão sua candidatura à reeleição, segundo uma pesquisa.

Os resultados ilustram que os benefícios do crescimento mundial da Índia não são distribuídos igualmente para a população de 1,4 bilhão de habitantes, já que a criação de empregos, apesar do impulso de Modi para a produção doméstica nos últimos 10 anos, ainda é um desafio.

A Índia começa a votar em uma eleição geral de sete fases em 19 de abril, e espera-se que Modi vença com facilidade. Os votos serão contados em 4 de junho.

O desemprego foi a principal preocupação de 27% dos 10.000 eleitores pesquisados pela Lokniti-CSDS em 19 dos 28 Estados da Índia, com o aumento dos preços em segundo lugar, com 23%, informou o jornal Hindu.

A Índia é a grande economia de crescimento mais rápido do mundo e a quinta maior do mundo. Mas quase dois terços, ou 62% dos entrevistados, disseram que encontrar emprego ficou mais difícil nos últimos cinco anos -- o segundo mandato de Modi como primeiro-ministro.

A taxa de desemprego subiu para 5,4% em 2022/23, de 4,9% em 2013/14, pouco antes de Modi chegar ao poder, e quase 16% dos jovens urbanos na faixa etária de 15 a 29 anos permaneceram desempregados em 2022/23 devido à falta de qualificação e à falta de empregos de qualidade, segundo dados oficiais.

Embora 22% tenham dito que "a ação que mais gostaram" do governo Modi foi a construção de um grande templo hindu dedicado ao Senhor Ram em um local que foi contestado por muçulmanos minoritários, apenas 8% disseram que essa era sua principal preocupação.

Modi supervisionou a consagração do templo de Ram em janeiro, uma ação cada vez mais usada por seu partido nacionalista hindu Partido do Povo Indiano (BJP) em sua campanha eleitoral para destacar a conclusão de uma antiga demanda hindu.

Nesta sexta-feira, Modi atacou o principal partido de oposição, o Congresso, por ter recusado o convite para a inauguração do templo.

"Os devotos de Ram do mundo inteiro viram essa sua arrogância... esse é um jogo eleitoral para vocês", disse Modi em um discurso de campanha no território federal de Jammu e Caxemira.

O Congresso se recusou a comparecer à inauguração, dizendo que ela havia sido convertida em um "projeto político" do BJP e que a consagração havia sido antecipada "para ganho eleitoral".

Pelo menos 48% dos entrevistados disseram que o templo consolidaria uma identidade hindu, mas uma grande maioria (79%) disse que a Índia pertencia igualmente a cidadãos de todas as religiões, não apenas aos hindus.

Os eleitores também foram atraídos pela crescente posição internacional da Índia, com eventos altamente divulgados, como a presidência indiana do bloco do G20 no ano passado, e Nova Délhi recebendo os líderes do G20 em setembro.

Cerca de 8% dos entrevistados da pesquisa disseram que gostaram do esforço do governo para criar uma melhor imagem internacional da Índia.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade