0

Conservacionistas ameaçam ação civil contra perda de proteção federal a ursos pardos

30 jun 2017
19h10
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Conservacionistas dos Estados Unidos ameaçaram abrir processos nesta sexta-feira para impedir um plano de administradores da vida selvagem do país que privaria os ursos pardos de proteção federal, expondo-os à caça no entorno do Parque Nacional do Yellowstone.

Urso pardo no Parque Nacional do Yellowstone
18/05/2014
REUTERS/Jim Urquhart
Urso pardo no Parque Nacional do Yellowstone 18/05/2014 REUTERS/Jim Urquhart
Foto: Reuters

Três coalizões --The Humane Society, WildEarth Guardians e outra que inclui o Sierra Club e a Northern Cheyenne Tribe-- notificaram individualmente o governo do presidente republicano, Donald Trump, de que pretendem iniciar ações civis para evitar que os ursos sejam retirados de uma lista de espécies ameaçadas.

    "Recuperar verdadeiramente os ursos pardos exige mais do que transformar o Yellowstone em um proverbial zoológico", disse a defensora de animais carnívoros da WildEarth, Kelly Nokes, em um comunicado. "Os ursos precisam de proteções em toda sua variedade."

    Uma autoridade do Departamento do Interior disse em um comunicado nesta sexta-feira que a agência ainda não recebeu avisos de um possível litígio. Um pedido de comentário foi encaminhado ao Departamento de Justiça, que não respondeu de imediato.

    Na semana passada o secretário do Interior dos EUA, Ryan Zinke, ex-congressista do Estado de Montana, disse que os ursos pardos da área do Yellowstone serão retirados da lista de espécies ameaçadas durante o atual verão norte-americano, uma medida que saudou como "um dos maiores sucessos de conservação da América" devido à retomada do crescimento da população destes animais.

Veja também:

Coronavírus impede pais de buscarem bebês de barriga de aluguel na Ucrânia
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade