PUBLICIDADE

TSE manda apagar vídeo de Mara Gabrilli associando Lula à morte de Celso Daniel

Bolsonaro tem utilizado o caso para atacar seu adversário, acusando-o de mandar matar o ex-prefeito

7 out 2022 - 12h54
(atualizado às 13h38)
Compartilhar
Exibir comentários
Lula conversa com o então prefeito de Santo André, Celso Daniel, durante comício em 2000
Lula conversa com o então prefeito de Santo André, Celso Daniel, durante comício em 2000
Foto: Estadão

A ministra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Maria Claudia Bucchianeri mandou apagar das redes sociais publicações que compartilham vídeo em que a senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP), ex-candidata a vice-presidente de Simone Tebet (MDB), acusa o presidenciável Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de envolvimento com a morte de Celso Daniel, ex-prefeito de Santo André (SP).

A decisão foi proferida nesta quinta-feira, 6 e determinou prazo de 24h para a remoção, sob multa de R$ 10 mil. A fala de Gabrilli foi feita em entrevista concedida à rádio Jovem Pan. Na ocasião, Mara disse que Lula teria pagado para não ser envolvido no caso. Depois, o vídeo foi reproduzido por perfis de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição.

Mara Gabrilli, candidata à vice presidência
Mara Gabrilli, candidata à vice presidência
Foto: Karen Lemos

Celso Daniel foi assassinado em 2002. A Polícia Civil concluiu que se tratou de crime comum e encerrou a investigação. Bolsonaro tem utilizado o caso para atacar seu adversário, acusando-o de mandar matar o ex-prefeito. Em debate realizado pela TV Globo em 29 de setembro, o presidente fez uma pergunta sobre o tema à então candidata Simone Tebet (MDB).

Tebet para Bolsonaro: 'Falta ao senhor coragem':

Informação falsa

Na decisão, a ministra afirmou que o tema foi apreciado outras vezes pela Corte, que já firmou o entendimento de que se trata de informação falsa. "O referido conteúdo já foi tido por este Tribunal Superior Eleitoral (TSE) como desinformativo, além de violador da imagem do candidato da coligação requerente", escreveu.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade