Secretários de Educação discordam de Weintraub sobre Enem

Ministro da Educação se manifestou a favor do Enem em novembro; entidade alega que é necessário um ajuste no cronograma em benefício dos estudantes

20 abr 2020
14h56
atualizado às 15h06
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Conselho Nacional de Secretários de Educação (CONSED) publicou nota contra as declarações do ministro da Educação, Abraham Weintraub, de manter o Enem em novembro, apesar da crise do novo coronavírus.

A entidade alega que é necessário um ajuste no cronograma em benefício dos estudantes, especialmente os da rede pública que estão sem aulas presenciais e com dificuldade para se inscrever e pedir isenção no exame. "Entendemos também ser fundamental o adiamento das datas das provas do ENEM, para que não sejam ampliadas ainda mais as desigualdades educacionais em nosso país", diz a nota.

Abraham Weintraub, ministro da Educação.
Abraham Weintraub, ministro da Educação.
Foto: Paulo Guereta / Agência O Dia / Estadão Conteúdo

Depois de se posicionar no sábado, 20, a favor da volta às aulas em meio à crise do coronavírus, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou no domingo no Twitter que os governadores fizeram "uma quarentena generalizada e precipitada". A postagem inclui o vídeo de um homem não identificado dançando. " Governadores devem planejar o retorno das aulas, tirar as nádegas da cadeira e REBOLAR atrás do prejuízo!", escreveu Weintraub.

O ministro ainda afirmou que, com o cancelamento do Enem, "ganham UNE e monopolistas". "Eles tentaram impedir o ENEM quando invadiram as escolas onde seriam feitas as provas. Tentaram novamente no ano passado. Estão tentando agora. Não conseguirão! VAI TER ENEM!", afirmou.

 

Veja também:

Quem é o menino bailarino da Nigéria que viralizou nas redes sociais
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade