PUBLICIDADE

O que é a "revolução das skills" e como se preparar para ela

Em um mercado cada vez mais dinâmico, especialistas enxergam o aumento do protagonismo das skills no ambiente de trabalho

15 mai 2024 - 19h03
Compartilhar
Exibir comentários

Você sabe o que são skills? O termo nada mais é do que um empréstimo da Língua Inglesa, que diz respeito a toda e qualquer habilidade ou capacidade - seja ela um comportamento ou um conhecimento técnico. Com novas profissões e exigências surgindo a cada dia, as skills passam a desempenhar um papel ainda mais importante na carreira profissional, especialmente para quem está começando agora. Alguns especialistas chegam a citar uma possível "revolução das skills" que vai mudar completamente o mercado de trabalho. Ficou curioso?

Comunicação eficaz é uma das skills mais procuradas por gestores
Comunicação eficaz é uma das skills mais procuradas por gestores
Foto: Freepik/Reprodução / Guia do Estudante

A mudança trataria, sobretudo, do novo protagonismo das skills no dia a dia das profissões. Isto é, alguns conhecimentos básicos que todos devem ter para conseguir acompanhar o mercado. Ao passo que os setores passam a adotar, em maior ou menor grau, a automação, a robótica e a inteligência artificial, será fundamental o desenvolvimento de habilidades profissionais que conversem com a nova realidade - seja algumas mais elaboradas, como interpretar dados, ou outras mais básicas, como saber se comunicar de maneira eficaz por mensagens.

"As skills são importantes para demonstrar às empresas ou ao entrevistador o que o candidato pode trazer em termos de competências técnicas e socioemocionais", explica Fernanda Cardoso, gestora de talentos da All Set, agência de publicidade que atende marcas como Ambev, Mercado Ads e Nestlé.

+ Cursos gratuitos para aprender a usar Inteligência Artificial

+ Feedback: o que significa em português

Diferença entre hard skills e soft skills

As skills podem ser divididas em dois grupos principais: hard skills e soft skills. O primeiro grupo descreve as habilidades e conhecimentos técnicos, como edição de vídeo, programação e fluência em uma língua estrangeira. Podem ser mais específicas, como familiaridade em determinados equipamentos e softwares. As hard skills são habilidades aprendidas, geralmente por meio da educação formal ou da experiência.

"Fazendo um paralelo com a criação de conteúdo digital, uma profissão que está muito em alta, a hard skill mais relevantes é a edição de vídeo, que permite ao criador transformar gravações brutas em um produto profissional", exemplifica a gestora.

Já as soft skills são as habilidades socioemocionais, aquelas que não necessariamente são aprendidas em um ambiente educacional e que, geralmente, também são usadas em outras áreas da vida. Capacidade de liderança, resolução de problemas, flexibilidade e resiliência são alguns exemplos.

"Ainda no mesmo exemplo, a principal soft skill seria a comunicação eficaz, a habilidade que faz o criador de conteúdo ser capaz de se conectar com seu público e transmitir ideias de maneira clara e envolvente, em outras palavras, ser influente", explica.

+ Como aprender um novo idioma ajuda em várias áreas da vida

Mais importante que o diploma?

No cenário atual, a revolução da skills afetará não somente as profissões alinhadas às tendências e tecnologias, como comunicação e administração, mas também as tradicionais, como medicina e direito.

Na área da Saúde, elas dão as caras em diferentes aspectos. Podemos considerar como hard skills a operação de equipamentos e máquinas específicas, por exemplo. Já as soft skills podem ser justamente o diferencial entre um médico e um bom médico. Fatores como empatia e boa comunicação se tornam cada vez mais valorizados - afinal, quem nunca saiu decepcionado de uma consulta em que o médico foi monossilábico ou sequer fez um exame clínico?

As skills, portanto, são o diferencial, aquilo que torna os profissionais ainda melhores em suas áreas. Mas ninguém vai discordar que o primeiro passo para ser médico é cursar uma graduação em Medicina, certo? Ainda que as grandes empresas estejam cada vez mais focadas nas habilidades e competências que um candidato pode trazer, as skills não devem substituir o conhecimento adquirido com o diploma universitário.

"A educação formal continua sendo crucial para a grande maioria das áreas com base em conhecimento teórico e prático", esclarece Cardoso. "Em um mercado de trabalho em rápida evolução, a capacidade de adaptação, aprendizado contínuo e colaboração podem ser tão valiosas quanto um diploma específico, mas não o substituem!"

+ Os cursos da USP que estão entre os melhores do mundo

Quais são as skills do futuro

Entre as soft skills mais procuradas por gestores em processos seletivos estão: comunicação eficaz; trabalho em equipe e colaboração; adaptabilidade; proatividade; pensamento crítico e resolução de problemas. "Os estudantes podem desenvolver suas skills por meio de diversas atividades e experiências extracurriculares, como estágios e experiências de trabalho, participação em organizações estudantis, trabalho voluntário ou comunitário", explica a gestora.

+ Trabalho voluntário: como começar 

Embora as mudanças em relação as skills sejam bem rápidas, algumas as apontadas como as grandes apostas para o futuro. Podem parecer novidade agora, mas a tendência é que se tornem cada vez mais essenciais na formação de um profissional qualificado. Conheça as principais:

  • conscientização e responsabilidade social;
  • competências em sustentabilidade e desenvolvimento ambiental;
  • habilidades de comunicação eficaz em contextos globais;
  • adaptabilidade para lidar com mudanças rápidas;
  • inteligência emocional para interações humanas mais eficazes.

Entre no canal do GUIA no WhatsApp e receba conteúdos de estudo, redação e atualidades no seu celular!

Guia do Estudante
Compartilhar
Publicidade
Publicidade