Crianças autistas aprendem a se comunicar com aplicativo

Uma startup norueguesa criou o aplicativo que promete mudar a comunicação e a vida das crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA)

8 jul 2015
08h02
  • separator
  • 0
  • comentários

Não é de hoje que se sabe, e se percebe, que a principal dificuldade de crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA), popularmente conhecido como autismo, é a comunicação. De um modo geral, crianças portadoras do transtorno têm problemas para comunicar seus pensamentos, vontades e necessidades, o que torna a vida delas e também das suas famílias bem mais complicada.

Siga Terra Educação no Twitter

Uma startup norueguesa chamada Superplus decidiu tentar resolver o problema. Como resultado, surgiu o aplicativo SuperSpeak, que permite às crianças uma comunicação mais fácil e rápida com seus pais, parentes, professores e com quem mais ela conviver no dia a dia.

A ideia é simples: se a criança quiser andar de patinete, por exemplo, ela pode, e deve, mostrar as fotos do patinete no celular para expressar sua vontade. Para facilitar mais ainda, a criança também consegue clicar nas palavras "sim", "não" e "mais tarde" para responder perguntas feitas pelas pessoas que estiverem com ela. O aplicativo rendeu à Superplus o prêmio de Melhor Empreendimento Social, concedido pelo Nordic Startup Award.

Aplicativo promete tornar comunicação mais fácil e diminuir o sofrimento de todos, em especial das mães de crianças com autismo
Aplicativo promete tornar comunicação mais fácil e diminuir o sofrimento de todos, em especial das mães de crianças com autismo
Foto: iStock

Importante para as crianças com autismo, o SuperSpeak promete mudar a vida e diminuir o sofrimento de todos que convivem com elas, principalmente as mães, já que um estudo publicado no Periódico de Autismo e Transtornos de Desenvolvimento mostrou que as mães de crianças autistas apresentam níveis de estresse comparáveis aos de soldados em combate. Essa tensão acaba, inclusive, atingindo o filho portador do transtorno, o que dificulta ainda mais a relação e a comunicação. As informações são do Observer.

Foi demitido? Veja dicas para se recolocar no mercado
Música de Clarice Falcão vira “Stop Motion”
Jornalismo: literatura para ser tocada com as mãos

 

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade