PUBLICIDADE

DINO

Grandes editoras estão apostando mais nos autores nacionais

17 out 2019 - 16h01
(atualizado às 16h30)
Compartilhar
Exibir comentários

As livrarias brasileiras estão sempre repletas de livros estrangeiros, deixando pouquíssimo espaço e visibilidade para os livros nacionais. Mas isso acontece, simplesmente, porque a maioria das grandes editoras brasileiras preferem apostar em títulos de escritores estrangeiros, que tenham nomes já conhecidos no mercado literário e carreiras de sucesso fora do país. 

Foto: Pixabay/Dino / DINO

Além da desvalorização dos talentosos escritores brasileiros, isso implica tanto na venda de livros estrangeiros, por falta de opções de nacionais, quanto na oportunidade que os leitores perdem de conhecer as obras que são produzidas aqui.

Como é sabido, há um preconceito com a literatura do Brasil. Alguns brasileiros têm a mania de dizer e ressaltar que tudo de fora é melhor, e que daqui não é bom. Isso não só com livros, mas com filmes, seriados e etc.

A literatura brasileira não se resume a Machado de Assis e Carlos Drummond de Andrade, já que há muitos escritores talentosos aqui, que nasceram para escrever e que falam com autoridade sobre diversos assuntos. Isso não quer dizer que a literatura estrangeira é ruim ou inferior à brasileira, muito pelo contrário, é boa! E nem dizer que todo livro nacional é bom, pois há livros bons e outros não tão bons assim, escritores com e sem talento. E isso é normal, em qualquer lugar do mundo. 

Talvez, quando os leitores brasileiros começarem a valorizar a literatura do país, as editoras, que publicam mais autores estrangeiros, passarão a publicar mais autores nacionais, fazendo com que sejam valorizados e se tornem, cada vez mais, conhecidos.  

Para Carlo Carrenho, proprietário do website Publishnews, a falta de interesse por autores nacionais, acontece pelo motivo de que é sempre muito arriscado, para as editoras, lançar um novo autor, que não tenha uma plataforma anterior (como uma celebridade, por exemplo). É um risco absurdo, na verdade; por isso, elas preferem investir nos autores estrangeiros, consagrados, que já vendem milhões de exemplares no exterior. 

Apesar deste cenário, algumas das grandes editoras brasileiras vêm desenvolvendo pouco a pouco os escritores brasileiros e publicando-os. Confira a seguir quais são e, também, alguns dos títulos publicados por elas, de autores nacionais. 

Companhia das letras

Querido por leitores de várias idades, perfis e formações, o Grupo Companhia das Letras chegou em 2016 como líder de mercado, segundo a Nielsen, congregando 1,5 milhão de seguidores via redes sociais, com alcance mensal de 10 milhões de usuários, pelas diversas plataformas digitais em que atua. A editora apostou, desde o início, no livro digital e, hoje, já tem mais de dois mil títulos convertidos em e-book.

Felicidade (Eduardo Giannetti)

Da poesia (Hilda Hilst) 

Extraordinárias - Mulheres que revolucionaram o Brasil (Duda Porto de Souza e Aryane Cararo)

Editora Gente 

O grande objetivo da Editora Gente é contribuir com o desenvolvimento humano. Por isso, optaram por se dedicar a três linhas editoriais: autoajuda, educação e gestão. A primeira, mais abrangente, abriga temas como espiritualidade, bem-estar, relacionamento, sexualidade, saúde, comportamento e finanças pessoais. A segunda aborda temas que atendem os interesses de pais, professores e pedagogos. Já a linha de gestão trata de questões de carreira, negócios, administração, gestão de recursos humanos e treinamento.

Seja um líder de heróis - Como transformar sua equipe em um esquadrão imbatível em tudo que faz (Leandro Moreira)

Vida organizada - Como definir prioridades e transformar seus sonhos em objetivos (Thais Godinho)

Moda à brasileira - O guia imprescindível para os novos tempos da moda (Alice Ferraz)

Ediouro 

O Grupo Ediouro, atualmente, possui um dos mais completos e respeitáveis catálogos da América Latina, pois há quase 80 anos se dedica a publicar, produzir e distribuir conteúdo em diferentes mídias e plataformas. A combinação de um passado de referência - de quem fez e ainda faz história -, o conhecimento do mercado editorial e uma visão voltada para o futuro, faz com que as empresas do grupo caminhem para a mesma direção, ainda que mantendo suas diferenças. O grupo caminha uníssono, sem a perda de preceitos que, para eles, são caros: a divulgação e a defesa da cultura brasileira, a convicção de que a difusão de conhecimento é fundamental e a crença em que, através de palavras, é possível mudar o mundo. 

Como os advogados salvaram o mundo - A história da advocacia e sua contribuição para a humanidade (José Roberto de Castro Neves)

Santa Dulce dos pobres - A vida, a fé e a santidade do anjo bom da Bahia (Mariana Godoy)

A vitória pela oração - Preces para a saúde do corpo e da alma (Pe. Anderson Guerra)

Editora Viseu 

Fundada em 2010, a Editora Viseu é casa editorial mais nova da lista, e também a que mais aposta nos novos escritores brasileiros. Empresa em crescimento constante, viu suas vendas multiplicarem nos últimos anos, ganhando grande destaque nas prateleiras físicas e online de todo o país. De forma inovadora, os editores desta casa estão sempre em busca de novos talentos, que se predispõe a analisar toda e qualquer obra que chega até eles. Não é à toa que já contam com 1.500 títulos e um portfólio variado, que agrada a todo o tipo de leitores.

Truque de mágica (Letícia Höfke)

Você empreendedor (Gilclér Regina)

Infertilidade e acupuntura - O sonho da maternidade realizado na ponta da agulha (Érica Nery)

Rocco

A Rocco tem como compromisso publicar as melhores obras de autores nacionais e estrangeiros. Criada em 1975, por Paulo Roberto Rocco, a editora se mostrou atenta às manifestações da sociedade, antecipando tendências e difundindo novas ideias em diferentes segmentos. Atualmente, a Rocco se mantém como uma das editoras brasileiras que mais se dedicam à divulgação de obras de ficção e não ficção contemporâneas. 

A alquimia dos sabores - A culinária funcional (João Curvo)

Educação pelo argumento (Gustavo Bernardo)

Meus 15 anos (Luiza Trigo)

Nesse interim, o que se pode concluir é que, embora ainda tenha uma preferência por livros estrangeiros, tanto por leitores quanto por algumas editoras, essa realidade pode ser mudada nos próximos anos, pois já vem caminhando para isso, devido às oportunidades que estas editoras oferecem aos autores nacionais. Com isso, pouco a pouco, os livros brasileiros ganharão mais espaço no mercado, nas livrarias e nos corações dos leitores. 

Website: https://www.eviseu.com/pt/

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade