PUBLICIDADE

Coronavírus

Haddad testa positivo para covid e participação no G-20 fica comprometida

Ministro da Fazenda deverá presidir as reuniões previstas para os dias 28 e 29 de forma virtual

26 fev 2024 - 09h53
(atualizado às 10h02)
Compartilhar
Exibir comentários

BRASÍLIA - O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, foi diagnosticado com covid-19, o que poderá comprometer a sua participação presencial nos eventos do G-20 no Brasil, que ocorrem nesta semana em São Paulo, informou a pasta. De acordo com a assessoria de imprensa, Haddad se sentiu indisposto no domingo, 25, e fez o teste que apontou infecção pela doença. Apesar disso, o ministro passa bem.

"A participação presencial nos compromissos do G20 ao longo da semana poderá ficar comprometida. No entanto, o ministro presidirá as reuniões previstas para os dias 28 e 29 de fevereiro de forma virtual, com as participações presenciais do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e do secretário executivo do Ministério da Fazenda, Dario Durigan", disse a pasta em nota.

Nesta semana, além de intensa agenda na primeira reunião em nível ministerial da Trilha de Finanças do G-20 durante a presidência brasileira no grupo, Haddad também estava escalado para anunciar o novo mecanismo de hedge cambial para instrumentos verdes nesta manhã.

De acordo com a Fazenda, Haddad seguirá fazendo novos testes para, em caso de diagnóstico negativo, estar liberado para participar presencialmente dos eventos do G-20 em São Paulo, especificamente nos dias 28 e 29 de fevereiro, quando preside as reuniões. "Reiteramos que a programação oficial do G-20 está preservada e que o ministro estará representado em todos os eventos", disse.

Três reuniões bilaterais previstas para esta segunda-feira foram canceladas: o encontro com o ministro das Finanças da Rússia, Anton Siluanov; a discussão sobre parceria para mobilização de finanças para o clima com Mark Carney, co-chair do GFANZ e chairman da Bloomberg; e conversa com o diretor executivo do Fundo Monetário Internacional (FMI) no Brasil, Afonso Bevilaqua.

Está mantido o anúncio do novo hedge cambial, onde Haddad será substituído pelo secretário do Tesouro Nacional, Rogério Ceron de Oliveira, às 11h. Também participa do evento o presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos Neto.

A abertura do "Fórum de Governos e Bancos Centrais na Era da Mudança Climática", prevista para acontecer no Hotel Rosewood, e a reunião bilateral com a diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva, estão sendo reestruturadas para tentar permitir a participação virtual de Fernando Haddad.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade