PUBLICIDADE

Nuvens curiosas de Juazeiro de Norte (CE) e de Gramado (RS)

Veja também as estranhas nuvens que se formaram no de 2017 em Lagoa da Prata (MG) e no Rio de Janeiro (RJ)

14 jul 2021 22h27
ver comentários
Publicidade

Foto: reprodução de vídeo - Climaaovivo

Algumas nuvens se destacam no céu por sua forma curiosa,  por seu aspecto tenebroso ou simplesmente pela beleza. As nuvens que passaram sobre Juazeiro do Norte, no sul do Ceará, no dia 13 de julho de 2021, e outras que surgiram sobre Gramado, cidade na serra gaúcha,  dm 12 de maio de 2017, chamaram a atenção por causa por do formato e da forma como se espalharam pelo céu. 

As duas nuvens são muito diferentes e contrastantes. A forma de uma delas é captada com clareza pelos satélites meteorológicos, mas o formato inusitado da outra só é percebido por um observador na superfície, que olha para o céu. 

"Ruas" de altocumulus em Juazeiro no Norte (CE)

As imagens captadas por satélites meteorológicos da NASA em 13/7/2021 mostram uma camada de nuvens composta por bandas de altocumulus. Este tipo de nuvem é classificada tecnicamente de nuvem média e não provoca chuva. São em geral brancas ou com um tom cinza claro indicando pouca umidade.  

Foto: Climatempo

Bandas de nuvens do tipo altocumulus sobre estados do Nordeste do Brasil em 13/7/2021 (EOSDIS/NASA)

Mas o curioso é a aparência de bandas de nuvens enfileiradas, como se fossem "ruas". Estas "ruas" aparecem por causa da interação com ondas de gravidade que estavam passando sobre a região onde estava a camada de nuvens altocumulus.  Esta camada de nuvens se espalhava pelo interior de vários estados da Região Nordeste do Brasil, como o Ceará, Pernambuco, Bahia e Alagoas.

Agora, veja a beleza da forma desta camada de nuvens na região de Juazeiro do Norte, mas vista por câmeras em terra, olhando para um grande horizonte. As imagens são do Climaaovivo compartilhadas com a Climatempo

A forma achatada e com espaçamento relativamente regular faz lembrar uma cobertura de "pedras".  Algumas pessoas conhecem um dito popular que diz assim: céu pedrento, chuva ou vento. No caso, o "pedrento" é justamente por causa das placas de altocumulus espaçados que ficam parecendo pedras no céu. Esta formação de nuvens em bandas é relativamente comum e pode aparecer em qualquer lugar, inclusive com outros tipos de nuvens.

Quando céu "ondulou" em Gramado (RS)

Se um dia você olhar para cima e vir um céu todo nublado, mas com nuvens que parecem estar fazendo "ondas", como se o próprio céu estivesse "ondulando" sobre a sua cabeça, parecendo um mar raivoso, cinza, um tanto tenebroso mesmo, provavelmente você estará sob uma camada de nuvens asperitas. 

A nuvem com característica "asperitas" ou "asperatus" é uma nuvem rara e recentemente reconhecida pela Organização Meteorológica Mundial (OMM) como uma nuvem nova, que não estava classificada antes. O reconhecimento oficial de ser uma nuvem nova veio apenas em 2017, quando a OMM lançou uma nova versão do atlas internacional de nuvens.

A imagem abaixo é de uma camada de altocumulus stratiformis opacus asperitas fotografada em 11 de dezembro de 2017 em Lagoa da Prata, cidade de Minas Gerais. Choveu após o surgimento destas nuvens, segundo Rafael Douglas Gomes, o autor da foto.

Foto: Climatempo

Foto: Lagoa da Prata (MG), por Rafael Douglas Gomes: nuvem "asperatus" 11/12/2017

Veja agora o céu "ondulado" de nuvens "asperitas" que surgiram em Gramado, no  Rio Grande do Sul, em 12 de maio de 2017, nas fantásticas imagens do Climaaovivo.

Fantásticas nuvens cariocas

A atmosfera no Brasil no ano de 2017 deve ter tido alguma coisa especial porque nuvens muito esquisitas surgiram em vários estados e em diferentes meses deste ano.  Veja a nuvem que surgiu no céu da cidade do Rio de Janeiro em 7 de fevereiro de 2017. As fotos são de Hélio C. Vital. Confira a matéria completa com toda a sequência de fotos das transformações do céu do Rio de Janeiro no fim da tarde de 7/2/2017.

Foto: Climatempo

Foto: Rio de Janeiro (RJ), por Hélio C Vital - 7/2/2017: formação estranha de funil

Ampliação da porção que se desprende à esquerda do tubo 

Foto: Climatempo

Foto: Rio de Janeiro (RJ), por Hélio C Vital - 7/2/2017

Climatempo
Publicidade
Publicidade