3 eventos ao vivo

Densa nuvem de poeira do Saara encobre o Caribe

Camada de poeira prejudica a visibilidade e a qualidade do ar, mas também inibe a formação de furacões.

24 jun 2020
05h35
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Uma densa nuvem de poeira se espalhou nos últimos dias sobre o Caribe, cobrindo toda região das ilhas virgens,  Porto Rico, a República Dominicana, o Haiti e Jamaica muitas outras áreas do Caribe. Nesta terça-feira, 24 de junho, a nuvem de poeira já avançava sobre Cuba.

Esta nuvem de poeira é grossa o suficiente para obscurecer o sol e causar grande restrição da visibilidade na superfície

Às 17 horas (hora de Brasília) de 23 de junho de 2020, a informação meteorológica do aeroporto de Kingston, na Jamaica,  informava a presença da poeira.  Na mensagem codificada a poeira parece aparece como DU, de dust, poeira em inglês.

METAR: MKJP 232000Z 13020KT 5000 DU FEW024 32/26 Q1012

A extensa e densa nuvem de poeira podia ser vista facilmente através da imagens de satélite. 

Foto: Climatempo

Poeira do Saara sobre o Caribe em 23/6/2020

De onde veio esta poeira?

A nuvem de poeira que encobriu o Caribe veio do deserto do Saara, no norte da África, e vem viajando pelo oceano Atlântico Norte Tropical desde o fim da semana passada. 

Esta é a imagem da nuvem de poeira do Saara captada pelo satélite GOES 16 no dia 18 de junho de 2020.

Foto: Climatempo

Visão da grande mancha de poeira do Saara sobre o Atlântico Norte Tropical em 18/6/2020

Esta camada de poeira saariana sobre o Atlântico Norte Tropical não é um fenômeno novo e ocorre todos os anos, em geral durante o verão, a primavera e parte do outono do Hemisfério Norte.

Mesmo não sendo novidade, esta nuvem de poeira está sendo considerada especial por sua densidade e dimensões. Especialistas da NASA já alertaram que parte da poeira poderá chegar à Flórida ainda esta semana e a outras áreas sobre o golfo do México, nas proximidades dos Estados Unidos.

Como ocorre a nuvem de poeira sobre o Atlântico Tropical?

Segundo a NASA, todos os anos, os ventos removem cerca de 800 milhões de toneladas métricas de poeira do deserto do Saara, que fica no norte da África, em direção. Esta é considerada a maior fonte de partículas de poeira do ar do planeta. 

A massa de ar seco e empoeirado sai do Saara por causa de fortes ventos que sopram de norte da África para o oceano Atlântico Norte Tropical é chamada de camada de ar do Saara.

Esta outra imagem mostra a espessa camada de poeira, vista por satélites meteorológicos, que estava sobre a o arquipélago de Cabo Verde, na costa noroeste de África, no dia 18/6/2020. 

Foto: Climatempo

Poeira do deserto o Saara sobre Cabo Verde em 18-6-2020

De acordo com especialistas da NASA, o volume de poeira que sai do Saara durante verão do Hemisfério Norte (inverno no Hemisfério Sul) é maior e também tende a alcançar altitudes atmosféricas mais elevadas do que em outras estações.

Qualidade do ar, fertilização da Amazônia e furacões

A nuvem de poeira que sai do deserto do Saara pode viajar por milhares de quilômetros afetar a qualidade do ar em locais tão distantes quanto as Américas do Norte e do Sul, se misturada ao ar próximo ao solo.

Mas a poeira tem um papel ecológico importante, como fertilizar solos na Amazônia e construir praias no Caribe. As condições secas, quentes e ventosas associadas aos surtos da camada de ar do Saara também podem suprimir a formação e intensificação dos ciclones tropicais (furacões) no Atlântico Norte Tropical.

A região de Cabo Verde é conhecida por ser um "berço" de furacões. Porém, a presença do manto de poeira altera as condições atmosféricas locais e inibe a formações das tempestades.

Veja também:

Previsão Brasil - Ar frio influencia o centro-sul do país
Climatempo
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade