0

Maia diz não ter pressa para analisar CPI da Lava Jato

18 set 2019
18h49
atualizado às 20h05
  • separator
  • 0
  • comentários

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quarta-feira não ter pressa para analisar se autoriza a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar supostas violações cometidas por Sergio Moro, enquanto juiz da Operação Lava Jato, e de procuradores da força-tarefa em Curitiba.

Maia participa de sessão na Câmara 10/7/2019 REUTERS/Adriano Machado
Maia participa de sessão na Câmara 10/7/2019 REUTERS/Adriano Machado
Foto: Reuters

Ao reafirmar a necessidade de avaliar se há fato determinado bem delimitado no pedido de criação da CPI, o deputado argumentou que o caso precisa ser avaliado com cuidado, para não gerar instabilidade e não interferir na harmonia entre os Poderes.

"Qualquer decisão de abrir uma CPI contra outro Poder precisa ser muito bem avaliada", disse Maia a jornalistas. "Por isso eu não tenho pressa, por isso que não é qualquer fato determinado que vai me fazer instalar essa CPI."

Protocolado com apoio de parlamentares de PDT, PSB, PCdoB e PSOL, o pedido de CPI argumenta que teria havido um "provável conluio" entre autoridades, fato esse que pode ter acarretado "processos corrompidos em termos de violações de garantias fundamentais e à negativa de direitos".

O presidente da Câmara comentou ainda a movimentação de senadores encampando a CPI da Lava Toga, com poder de, na opinião dele, desestabilizar o Supremo Tribunal Federal (STF).

"O que a gente precisa é de harmonia, de equilíbrio", defendeu Maia. "Não é uma decisão fácil, não é um fato determinado qualquer, e como eu disse, eu olho sempre para a CPI do Senado, eu sempre olhei aquilo com muita preocupação."

Veja também:

 

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade