7 eventos ao vivo

Dilma convoca plantão de ministros para monitorar protestos

As manifestações desta sexta e do próximo domingo colocaram o governo em alerta e os ministros devem permanecer em plantão

13 mar 2015
11h24
atualizado às 11h39
  • separator
  • 0
  • comentários

 

A presidente Dilma Rousseff convocou seus ministros mais próximos para ficarem de plantão em Brasília para monitorarem os protestos desta sexta-feira e do próximo domingo. Aloizio Mercadante (Casa Civil), Jacques Wagner (Defesa), José Eduardo Cardozo (Justiça), Miguel Rossetto (Secretaria Geral) e Pepe Vargas (Secretaria Geral) ficarão de prontidão para eventuais reuniões de emergência.

<p>Presidente convocou os ministros para este final de semana</p>
Presidente convocou os ministros para este final de semana
Foto: Paulo Whitaker / Reuters

As manifestações desta sexta-feira não tendem a levar problemas ao governo. Convocadas pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), a militância vai às ruas em uma espécie de resposta antecipada ao protesto de domingo, que pedirá o impeachment de Dilma. Os sindicalistas poderão, no entanto, elevar o tom contra os ajustes fiscais promovidos pelo Palácio do Planalto.

Os ministros convocados fazem parte do núcleo político da presidente Dilma. Eles costumam a se reunir com a petista para definir estratégias políticas o Executivo.

Durante esta sexta-feira, o ministro José Eduardo Cardozo vai ficar em contato com a Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal. Miguel Rossetto, responsável pela interlocução do Palácio do Planalto com movimentos sociais, já passou as últimas semanas em Brasília monitorando os protestos de caminhoneiros que pararam rodovias em todo o Brasil.

Desde o panelaço durante o pronunciamento de Dilma Rousseff no último domingo, o governo adotou um discurso de respeito a manifestações pacíficas, mas de críticas a uma tentativa de “terceiro turno” das eleições de 2014. Ontem, o ministro Pepe Vargas disse que os protestos pelo impeachment “cheiram a golpe”.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade