PUBLICIDADE

CPI: Randolfe apresenta requerimento para convocar Bolsonaro

Senador justifica que as investigações da CPI mostram que Bolsonaro teve participação "direta ou indireta" nos fatos apurados

26 mai 2021 11h21
| atualizado às 11h38
ver comentários
Publicidade
Bolsonaro empunha uma caixa de cloroquina - remédio não tem eficácia comprovada contra covid-19
Bolsonaro empunha uma caixa de cloroquina - remédio não tem eficácia comprovada contra covid-19
Foto: Reuters / BBC News Brasil

O vice-presidente da CPI da Covid, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), apresentou requerimento pedindo a convocação do presidente da República, Jair Bolsonaro, para prestar depoimento, como testemunha, à comissão. O documento foi apresentado nesta quarta-feira, 26, e ainda não foi apreciado pelo colegiado.

Na justificativa, o senador afirma que a pandemia do coronavírus é uma "tragédia sem precedentes" e que as investigações da CPI mostram que Bolsonaro teve participação "direta ou indireta" nos fatos apurados.

"Esta Comissão Parlamentar de Inquérito tem como objetivo apurar as ações e omissões do governo federal no enfrentamento da pandemia da covid-19 no Brasil e, em especial, no agravamento da crise sanitária no Amazonas com a ausência de oxigênio para os pacientes internados. A cada depoimento e a cada documento recebido, torna-se mais cristalino que o Presidente da República teve participação direta ou indireta nos graves fatos questionados por esta CPI".

Para ser aprovado, o requerimento tem que ir à votação da CPI. Normalmente, os parlamentares que integram a comissão precisam entrar num acordo para pôr esse tipo de solicitação na pauta. O assunto possivelmente está sendo debatido em reunião privada que os senadores da CPI realizavam por volta das 11h, antes de apreciar os requerimentos previstos para análise nesta quarta-feira.

Senadores Omar Aziz, Randolfe Rodrigues e Renan Calheiros, presidente, vice e relator da CPI da Covid, no Senado
27/04/2021 REUTERS/Adriano Machado
Senadores Omar Aziz, Randolfe Rodrigues e Renan Calheiros, presidente, vice e relator da CPI da Covid, no Senado 27/04/2021 REUTERS/Adriano Machado
Foto: Reuters

Comportamentos, omissões e boicote à imunização

Rodrigues cita exemplos que chama de "emblemáticos" de comportamentos do presidente, como o "combate às medidas preventivas, como o uso de máscaras e o distanciamento social; o estímulo ao uso indiscriminado de medicamentos sem eficácia comprovada e à tese da imunidade de rebanho; as omissões e falhas do governo federal que contribuíram para o colapso no fornecimento de oxigênio aos hospitais do Amazonas e que levaram ao óbito de centenas de pacientes por asfixia; as omissões do governo federal na aquisição de insumos e medicamentos para as UTIs; as omissões em relação à proteção contra a covid-19 dos povos indígenas e quilombolas; e, principalmente, o boicote sistemático à imunização da população, deixando de adquirir vacinas da Pfizer em 2020 e no primeiro trimestre de 2021, atacando a China e a vacina Coronavac, colocando em risco o fornecimento do IFA das duas principais vacinas aplicadas no Brasil".

"Diante dos fatos, proponho o presente requerimento para convocação do senhor Jair Messias Bolsonaro perante essa Comissão para explicar esses graves fatos que contribuíram para a perda de quase meio milhão de cidadãos brasileiros. Conto com o apoio dos nobres Pares desse colegiado", completa o senador.

Veja também:

Na CPI da Covid, Pazuello faz ao menos dez alegações enganosas sobre cloroquina, testes e vacinas:

 

Estadão
Publicidade
Publicidade