0

Bolsonaro reproduz vídeo com críticas a governador de PE

Presidente divulgou críticas do apresentador Sikêra Jr. a Paulo Câmara

4 abr 2021
11h28
atualizado às 11h41
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O presidente Jair Bolsonaro reproduziu em sua conta no Twitter um vídeo em que o apresentador de TV Sikêra Jr. faz críticas ao governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), a partir de cifras retratadas em seu programa como verbas da União destinadas ao Estado.

Presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia no Palácio do Planalto
22/03/2021
REUTERS/Ueslei Marcelino
Presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia no Palácio do Planalto 22/03/2021 REUTERS/Ueslei Marcelino
Foto: Reuters

"Paulo Câmara, esse dinheiro não é teu, é para salvar vidas", provoca o apresentador de TV após citar números que ele atribui a repasses do governo federal. "Senhores governadores, criem vergonha na cara. Digam ao seu povo quanto receberam para cuidar das vidas, e não tomar essas vidas, não matar as pessoas", acrescenta Sikêra Jr.

A temática dos repasses federais a Estados e municípios já esteve no centro do acirramento político de Bolsonaro com governadores antes. O episódio gerou reações de gestores, que criticaram o presidente por apresentar números de forma distorcida para insinuar que haveria benevolência do governo federal e que os entes subnacionais fariam uma má gestão dos recursos no enfrentamento à pandemia de covid-19.

Na última ocasião, o chefe do Planalto reproduziu publicação que misturava repasses que a União é obrigada a fazer pela Constituição com dinheiro do auxílio emergencial a vulneráveis e a verba do pacote de socorro e alívio financeiro a Estados e municípios aprovada pelo Congresso Nacional.

Também no vídeo de Sikêra Jr., que foi postado pelo presidente neste domingo (4), um infográfico classifica R$ 17 bilhões como "benefícios ao cidadão" de Pernambuco, que são somados a outras cifras para chegar a um montante que o apresentador usa para provocar o governador do Estado.

Veja também:

Fux: Democracia não é 'concordância forjada ou aplausos imerecidos', mas sim 'diálogo construtivo'
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade