PUBLICIDADE

Política

BNDES lança projeto para descarbonização de frota naval brasileira

Anúncio foi feito pelo presidente do banco, Aloízio Mercadante, durante lançamento de programa de incentivo à chamada 'economia azul'

24 jan 2024 - 22h12
(atualizado às 22h49)
Compartilhar
Exibir comentários
Presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, durante lançamento da iniciativa 'BNDES Azul', no navio de pesquisa da Marinha do Brasil, atracado na Praça Mauá, Centro no Rio de Janeiro
Presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, durante lançamento da iniciativa 'BNDES Azul', no navio de pesquisa da Marinha do Brasil, atracado na Praça Mauá, Centro no Rio de Janeiro
Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil / Estadão

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou nesta quarta-feira, 24, que irá incentivar a inovação e a descarbonização da frota naval brasileira por meio de uso de tecnologias e de combustíveis sustentáveis. Para isso, a instituição pretende reduzir a taxa de juros dos projetos navais que comprovem a diminuição na emissão dos gases de efeito estufa.

O anúncio da iniciativa foi feito pelo presidente da instituição, Aloizio Mercadante, durante evento a bordo do navio de pesquisa hidroceanográfico Vital de Oliveira H-39, que estava atracado na Praça Mauá, Centro do Rio de Janeiro.

De acordo com estimativas do BNDES, os projetos de construção de novas embarcações podem ter uma redução de até 0,24 ponto percentual na taxa de juros na taxa de juros. Para projetos de modernização, conversão ou jumborização de embarcações, essa redução pode ser de até 0,40 ponto percentual. Já para projetos de docagem, reparo e manutenção de embarcações essa redução pode ser de até 0,20 ponto percentual na taxa de juros, caso a empresa tenha política de responsabilidade socioambiental publicada em portal da internet e apresente inventário de emissões de gases de efeito estufa.

"A partir de 2030, haverá multa entre US$ 50 a US$ 500 por tonelada para embarcações sem combustível sustentável. Os países que não se atualizarem perderão competitividade internacional. Temos de sair na frente, nos antecipar: o Brasil tem etanol e biocombustível para ser líder na renovação da frota marítima", afirmou.

'Shopee do Brás' bomba na web; loja já tem fila de uma hora 'Shopee do Brás' bomba na web; loja já tem fila de uma hora

A construção de navios sustentáveis faz parte de um conjunto de iniciativas, chamado de "BNDES Azul", cujo intuito é impulsionar nacionalmente a chamada "economia azul". Além da descarbonização da frota, o banco ainda criou frentes para apoiar o planejamento Espacial Marinho (PEM) da costa brasileira, o aperfeiçoamento da infraestrutura portuária e o apoio a projetos de recursos hídricos via Fundo Clima.

Segundo o BNDES, este assunto vem ganhando destaque nas discussões sobre as consequências das mudanças climáticas e os processos econômicos na busca de uma transição justa.

Também participaram da cerimônia as ministras do Meio Ambiente e Mudança do Clima, Marina Silva; e da Ciência, Tecnologia e Inovação, Luciana Santos; o ministro da Defesa, José Mucio Monteiro; e o comandante de Operações Navais e diretor-geral de Navegação, almirante de esquadra Wladmilson Borges de Aguiar.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade