0

"Apresentei desculpas e colocamos ponto final", diz Salles

Após citar que o ministro da Secretaria de Governo tinha postura de "Maria Fofoca", ministro do Meio Ambiente esclarece atrito

25 out 2020
14h00
atualizado às 14h27
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, escreveu em sua conta oficial no Twitter que conversou com o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, pediu desculpas pelo "excesso" e colocou um "ponto final" na disputa entre os dois. Salles e Ramos vêm protagonizando o mais recente atrito dentro do governo, que já ocorria nos bastidores e foi tornado público nesta semana após o chefe do Meio Ambiente se referir ao general como "Maria Fofoca".

Ministro Ricardo Salles
15/07/2020
REUTERS/Adriano Machado
Ministro Ricardo Salles 15/07/2020 REUTERS/Adriano Machado
Foto: Reuters

"Conversei com o Min @MinLuizRamos, apresentei minhas desculpas pelo excesso e colocamos um ponto final nisso. Estamos juntos no governo, pelo Pres. Bolsonaro e pelo Brasil. Bom domingo a todos", escreveu Salles. Neste sábado, em entrevista ao Estadão, o chefe do Meio Ambiente já havia dito que o assunto estava "encerrado".

Ontem, um movimento coordenado de parlamentares reforçou o apoio a Ramos. Além do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e outras lideranças partidárias e do governo no Congresso, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre(DEM-AP), também endossou a campanha em defesa de Ramos.

Salles, por sua vez, conta com apoio da ala ideológica do governo e do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que hoje criticou indiretamente Maia ao citar no Twitter uma série de Medidas Provisórias que caducaram no Congresso. "Tem gente que é expert em tentar destruir o governo", escreveu Eduardo.

Em um passeio de moto junto ao presidente Jair Bolsonaro, neste domingo, Ramos negou que exista alguma disputa política com Salles. "Não tem briga nenhuma", disse o ministro da Secretaria de Governo quando questionado durante uma parada no Posto Colorado, na BR-020. "Olha, tem uma definição, briga é quando (tem) duas pessoas", afirmou em seguida, dizendo que não está "brigando com ninguém". Sobre como está o clima no governo, Ramos se limitou a dizer: "Minha relação com o presidente (Bolsonaro) está excepcional como sempre".

Veja também:

Barroso vê 'motivação política' em ataques contra TSE
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade