1 evento ao vivo

Lava Jato é realidade que não será afastada por questão conjuntural, diz Fachin

12 jun 2019
16h39
atualizado às 17h57
  • separator
  • comentários

A Lava Jato é uma realidade que não será afastada por questões conjunturais, disse nesta quarta-feira o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), que é o relator dos processos ligados à operação na corte.

Ministro Edson Fachin durante sessão do Supremo Tribunal Federal 
04/12/2018 REUTERS/Adriano Machado
Ministro Edson Fachin durante sessão do Supremo Tribunal Federal 04/12/2018 REUTERS/Adriano Machado
Foto: Reuters

As declarações de Fachin vêm depois de, no domingo, o site Intercept Brasil divulgar supostas mensagens trocadas entre procuradores que atuam na Lava Jato em Curitiba e entre o coordenador da força-tarefa da operação, Deltan Dallagnol e o então juiz responsável pelos processos da operação na capital paranaense, Sergio Moro, hoje ministro da Justiça.

Nas supostas mensagens, Moro indicaria a Dallagnol pistas a serem seguidas na investigação, assim como cobra pelo tempo em que não ocorrem novas fases, entre outros pontos. O site classifica a troca de mensagens como uma colaboração proibida entre Moro e a força-tarefa do Ministério Público Federal (MPF).

"A Lava Jato é uma realidade e não acredito que esta realidade venha a ser afastada por qualquer circunstância conjuntural", disse Fachin a jornalistas no STF em Brasília.

"A operação trouxe um novo padrão normativo, jurídico, portanto, e também de natureza ética ao Brasil e à administração pública. Tenho confiança plena que isso não é suscetível de qualquer retrocesso", avaliou.

A divulgação das supostas mensagens pelo Intercept Brasil gerou críticas e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) sugeriu o afastamento de Moro e Dallagnol para que as investigações sejam feitas de forma independente.

Moro disse que não pode afirmar se as alegadas mensagens são autênticas pois, de acordo com ele, se elas aconteceram, ocorreram há muito tempo. Ele disse também que, pelo que foi divulgado, não viu nada de mais no que teria conversado com Dallagnol.

O coordenador da Lava Jato no Paraná, por sua vez, negou quaisquer irregularidades e classificou de teoria da conspiração sem base na realidade a ideia de que a operação seria partidária.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade