1 evento ao vivo

Insatisfação entre caminhoneiros pode disparar nova greve

Caminhoneiros têm protestado há meses sobre problemas na implementação da tabela.

25 mar 2019
15h09
atualizado às 15h37
  • separator
  • comentários

Uma das entidades que representam caminhoneiros autônomos do país, Abcam, informou nesta segunda-feira que o nível de insatisfação da categoria está "muito grande" e que isso poderá resultar em uma nova greve dos motoristas, em meio a rumores sobre paralisação no final deste mês.

Manifestantes protestam durante greve dos caminhoneiros. 25/5/2018. The sign reads "We are all truckers". REUTERS/Diego Vara -
Manifestantes protestam durante greve dos caminhoneiros. 25/5/2018. The sign reads "We are all truckers". REUTERS/Diego Vara -
Foto: Reuters

Segundo a entidade, fundada em 1983 e que afirma representar 600 mil caminhonheiros autônomos do país, "são inúmeros telefonemas e mensagens de insatisfação com o atual piso mínimo de frete, bem como a falta de fiscalização para o seu cumprimento".

"A entidade vem percebendo uma insatisfação muito grande da categoria o que pode refletir em uma possível nova paralisação."

A Abcam afirmou que espera para 10 de abril a divulgação de estudos pelo Grupo de Pesquisa e Extensão em Logística Agroindustrial (Esalq-Log), da Universidade de São Paulo (USP), sobre uma nova metodologia para a tabela de fretes, criada no governo de Michel Temer no ano passado como forma de encerrar a greve que paralisou o país por 11 dias no final de maio.

"Antes disso acontecer, qualquer medida seria intempestiva", informou a Abcam.

Caminhoneiros têm protestado há meses sobre problemas na implementação da tabela. Em dezembro, um bloqueio interditou parcialmente a BR-116 no Rio de Janeiro, depois que o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), ter concedido liminar impedindo a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) de multar transportadores que não seguirem os fretes rodoviários mínimos. [nL1N1YF091]

"A Abcam espera que não seja necessário chegar uma nova e traumática paralisação. A entidade conta com o diálogo e a aproximação com o novo Governo Federal (...) Apesar disso, a entidade entende que a categoria é soberana em suas escolhas", afirmou a entidade.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • comentários
publicidade