PUBLICIDADE

Voçoroca em SP: vídeo mostra intervenções da prefeitura e Defesa Civil no local; veja

Cratera passou por inspeção na quarta-feira em Lupércio, no interior do Estado, em trabalho acompanhado pelo IPT; entenda o que é o fenômeno geológico

24 abr 2024 - 18h26
(atualizado em 25/4/2024 às 10h32)
Compartilhar
Exibir comentários

A Defesa Civil de São Paulo iniciou na quarta-feira, 24, os trabalhos para determinar alternativas na contenção da cratera que se abriu em Lupércio, no interior do Estado. A erosão já se manifesta há seis anos, desde 2017, mas passou a avançar nos últimos meses. O trabalho foi acompanhado pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), que colaborou na coleta de informações e avaliação de riscos e instabilidade.

Defesa Civil do Estado e Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) realizaram vistoria técnica no local
Defesa Civil do Estado e Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) realizaram vistoria técnica no local
Foto: Divulgação/Defesa Civil de São Paulo / Estadão

As análises, que terão resultado nos próximos dias, também estudam a necessidade de desapropriação de imóveis. A hipótese está descartada no momento em função de medidas de contenção anteriores adotadas pela prefeitura do município. Segundo a Defesa Civil, essas ações contribuíram para retardar o avanço da erosão.

Lupércio: falha em galeria pluvial

A formação da voçoroca, como é conhecido este fenômeno geológico, em Lupércio é atribuída pela Defesa Civil a falha em uma galeria pluvial local.

"Parcialmente na análise da vistoria mostrou que essa falha na galeria pluvial é um dos fatores preponderantes. Mas não podemos falar somente por causa da galeria pluvial, pois tem a questão da chuva, se não chove, a galeria fica ali, mas não tem a erosão. É um conjunto de fatores e um deles está relacionado com a galeria", disse o capitão Roberto Farina.

A galeria pluvial é um sistema de canalização subterrânea que têm como objetivo a captação e escoamento de água pluvial coletada pelas bocas coletoras.

Segundo Farina, o relatório está analisando até que ponto realmente ela tem uma influência sobre a situação. "Por exemplo, por onde a galeria pluvial passa, se algum encanamento deu algum problema e não foi consertado. Estamos fazendo um relatório para poder entender tecnicamente e com profundidade aquilo. Ele dará informações detalhadas sobre o ocorrido", acrescenta Farina.

Procurada, a prefeitura de Lupércio não se pronunciou sobre o assunto. O espaço permanece aberto para manifestação.

Atualmente, o buraco erosivo está com 300 metros de comprimento, 25 de largura e 15 de profundidade. Pelo Google Maps, é possível ver que a cratera se aproxima da Rua Dr. Adamastor Ferreira Costa e da Avenida Santo Inácio.

"Este problema de infraestrutura tem permitido que as águas das chuvas erodam o solo de maneira agressiva, resultando em um avanço da erosão na região. As previsões meteorológicas indicam uma ausência de chuvas mais fortes nos próximos dias, o que contribui significativamente para a contenção do problema e oferece uma janela de oportunidade para as intervenções emergenciais", acrescenta a Defesa Civil.

Localizado a cerca de 450 quilômetros da capital paulista, nos arredores de Bauru e Marília, o município de Lupércio tem quase 4 mil habitantes, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade