PUBLICIDADE

O que se sabe sobre os fugitivos de Mossoró?

Testemunha viu os criminosos sujos e comendo banana em plantação no Rio Grande do Norte

3 mar 2024 - 20h22
Compartilhar
Exibir comentários

As buscas por Deibson Cabral Nascimento e Rogério da Silva Mendonça, fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró, chegam ao 19º dia neste domingo (3).

Fugitivos de Mossoró
Fugitivos de Mossoró
Foto: Reprodução / Perfil Brasil

Na última quinta-feira (29), uma mulher, moradora da região de Vila Nova II, zona rural de Baraúna, no Rio Grande do Norte, disse ter visto os criminosos com as roupas sujas e comendo banana em uma plantação.

Assustada, a mulher, que estava com crianças, gritou por socorro. Em seguida, os criminosos correram para o matagal e não foram mais encontrados. O policiamento foi reforçado no local.

O que se sabe sobre os fugitivos?

Os criminosos demonstram estar desorientados. Evidências sugerem que eles estavam nas proximidades da fronteira entre o Rio Grande do Norte e o Ceará, mas então voltaram cerca de 8 km em direção à Penitenciária Federal de Mossoró, de onde haviam fugido.

Após passarem aproximadamente oito dias escondidos em uma casa isolada em Três Veredas, a cerca de 10 km do centro de Baraúna, ao invés de se afastarem, optaram por seguir na direção oposta em direção à penitenciária, na região de Riacho Grande.

A última vez que foram avistados foi em uma plantação de bananas e milho, próxima à Reserva Nacional da Furna Feia, onde as autoridades estão concentradas. A área foi completamente cercada.

O local é conhecido por suas cavernas e diversas propriedades agrícolas. Todos os veículos que entram e saem dos povoados são minuciosamente inspecionados por policiais.

Além disso, a operação de busca pelos fugitivos tem envolvido cerca de 600 policiais, dos quais 100 são integrantes da Força Nacional. Drones e helicópteros também são empregados para auxiliar nas buscas.

A polícia realiza visitas domiciliares e distribui cartazes com fotos dos fugitivos, juntamente com números de telefone para denúncias, conforme relatado pela população local.

Uma recompensa de R$ 15 mil está sendo oferecida pela polícia a quem fornecer informações precisas sobre o paradeiro dos criminosos.

 * Sob supervisão de Lilian Coelho

Perfil Brasil
Compartilhar
Publicidade
Publicidade