PUBLICIDADE

Morre pai de motoboy atropelado por influencer enquanto aguardava julgamento do caso

Almir Medeiros, pai do motoboy Jheykson Roger Medeiros, morreu neste sábado (20) enquanto aguardava o julgamento do caso que terminou...

21 abr 2024 - 17h04
(atualizado às 17h07)
Compartilhar
Exibir comentários

Almir Medeiros, pai do motoboy Jheykson Roger Medeiros, morreu neste sábado (20) enquanto aguardava o julgamento do caso que terminou com a morte de seu filho. Jheykson foi atropelado pela influenciadora Cássia Vialli Martins em 3 de setembro de 2022.

Almir tinha 64 anos e teria sofrido um infarto. Nas redes sociais, a notícia da morte provocou comoção entre amigos, familiares e populares que acompanhavam o drama da família após a tragédia.

Almir Medeiros e Cássia Vialli Martins (Fotos: Reprodução)
Almir Medeiros e Cássia Vialli Martins (Fotos: Reprodução)
Foto: Banda B

O advogado da família de Jheykson, Jackson Bahls, afirmou que Almir enfrentava um quadro depressivo desde a morte do filho.

"Infelizmente ele não viu a justiça sendo feita. Enquanto isso, a assassina está por aí em baladas aproveitando a vida. Agora o seu Almir vai morar ao lado do pai e do seu filho. Seguimos firmes na luta pra que a justiça seja feita e os demais familiares que restaram possam ter o conforto de ver uma sentença condenatória", defendeu o advogado.

Na época dos fatos, o pai de Jheykson chegou a publicar um vídeo nas redes sociais com um desabafo emocionante direcionado à digital influencer.

"O que você acha que fez de bom entrando naquela contramão alcoolizada? O que você acha que fez de bom pra mim? Você tirou a vida do meu filho com 36 anos que deixou um menino de sete anos e esposa. E deixou um pai arrasado, com coração sangrando, mãe, mais três irmãos, o que você acha que fez de bom nessa vida?", perguntou Almir no vídeo.

Denúncia

De acordo com a denúncia do Ministério Público do Paraná (MPPR), Cassia dirigia na contramão e bateu de frente contra a moto pilotada por Jheykson. Após a colisão, a influencer fugiu sem prestar socorro. O motoboy estava trabalhando e fazia entregas no momento em que acabou atingido.

A 3ª Promotoria de Justiça de Crimes Dolosos contra a Vida sustenta a prática de homicídio com dolo eventual qualificado por meio cruel, bem como dos crimes de omissão de socorro e fuga do local do acidente.

Além de ser proibida de dirigir, Cassia foi impedida pela Justiça de sair aos fins de semana no período noturno, bem como se ausentar de Curitiba.

O crime

O atropelamento que matou Jheykson aconteceu no dia 3 de setembro de 2022, no bairro Boqueirão, em Curitiba. A digital influencer Cássia Vialli Martins dirigia uma caminhonete, invadiu a contramão, atropelou o motoboy e fugiu sem prestar socorro.

A comanda de um bar paga pela motorista da caminhonete antes de se envolver no acidente indica que ela teria consumido bebidas alcoólicas no estabelecimento.

O caso foi investigado pela Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran) de Curitiba.

Banda B
Compartilhar
Publicidade
Publicidade