0

Acidente da TAM em Congonhas faz 10 anos sem nenhum punido

17 jul 2017
08h30
atualizado às 08h49
  • separator
  • comentários

Há exatos 10 anos da tragédia com o voo JJ3054 da companhia aérea TAM em São Paulo, um sentimento de frustração atinge as famílias das 199 vítimas fatais. Até hoje, ninguém foi responsabilizado pelo acidente.

Acidente com Airbus da TAM em congonhas completa dez anos nesta segunda-feira
Acidente com Airbus da TAM em congonhas completa dez anos nesta segunda-feira
Foto: Twitter

Ainda em 2007, a Polícia Federal começou a investigação formal da tragédia e que foi concluída dois anos e meio depois, sem apontar culpados. Para os policiais, não havia como relacionar pessoas fora da aeronave com o acidente, apontando como uma possível causa, um erro de um dos pilotos.

Já para os procuradores, a ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) Denise Abreu, o ex-diretor de segurança da TAM Marco Aurélio Miranda e o ex-vice-presidente da companhia Alberto Fajerman tinham responsabilidade no caso. Porém, os dois julgamentos em primeira e segunda instância absolveram as três pessoas indiciadas pela Procuradoria.

A Justiça julgou que não havia provas suficientes e os três foram absolvidos, em um caso que pode parar nas instâncias superiores em Brasília. Usando um relatório do Centro de Prevenção e Investigação de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), os magistrados entenderam que as condições da pista ou climáticas não foram decisivas para o acidente.

Isso porque a aeronave deveria estar em ponto morto quando tocou a pista, mas estava com um dos manetes, que controlam as turbinas, em posição de aceleração. Não se sabe se o problema foi causado por um erro no sistema ou por uma falha humana.

O voo

O avião Airbus A320 partiu da cidade de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, com 187 pessoas a bordo. O destino final era o aeroporto de Congonhas, na zona sul da cidade de São Paulo. Com uma chuva no momento do pouso, que iniciou às 18h44, a aeronave começa a se aproximar da pista.

Às 18h50, o avião passa reto pela pista de Congonhas e, apesar de ser possível ouvir gritos de "vira, vira, vira agora", a aeronave não desacelera, vira à esquerda e atinge em cheio um prédio da TAM, onde outras 12 pessoas morreram.

Veja também

Ansa - Brasil   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade