PUBLICIDADE

Senadora chama Neymar de 'vergonha mundial' por doação a Daniel Alves

Uma doação de 150 mil euros feita pela família de Neymar para o ex-lateral da Seleção Brasileira foi responsável por diminuir sua condenação

22 fev 2024 - 15h54
(atualizado às 16h30)
Compartilhar
Exibir comentários
Neymar e Daniel Alves
Neymar e Daniel Alves
Foto: Michael Steele/GettyImages

A senadora Eliziane Gama (PSD-MA) chamou o jogador Neymar de "vergonha mundial" por ser responsável pela doação de 150 mil euros - equivalente a mais de R$ 800 mil na conversão atual - para atenuar a pena de Daniel Alves, condenado por estupro.

"Vergonha mundial: @neymarjr, com a influência que tem junto à juventude presta um péssimo serviço ao doar 150 mil euros para reduzir a pena por estupro do colega Daniel Alves, condenado na Espanha. É preciso acabar com a cultura do estupro", escreveu a senadora no X (antigo Twitter).

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, também se manifestou. Ela chamou a condenação de "pedagógica e exemplar", mas criticou a redução da pena. "O absurdo foi ele pegar dinheiro emprestado com o Neymar, pagar uma multa e diminuir a pena, algo que não resolve em nada para a vítima, não apaga o sofrimento dela", escreveu.

A quantia foi considerada pela Justiça espanhola uma atenuante de reparação de danos, pois "antes do julgamento, a defesa depositou na conta do tribunal o montante de 150 mil euros para que pudesse ser entregue à vítima independentemente do resultado do processo".

O pai do jogador Neymar, Neymar da Silva Santos, foi quem confirmou que a doação foi feita pela família. Em entrevista a Emerson Sheik, ex-jogador e comentarista da CNN, Neymar Pai disse que Daniel Alves "não tinha dinheiro para se defender" e classificou a contribuição financeira como "ajuda a um amigo". Segundo ele, a família preferiu "acreditar em um amigo do que virar as costas para alguém".

Além disso, a família Neymar cedeu Alves Gustavo Xisto, um dos representantes jurídicos mais antigos das empresas do pai de Neymar, para prestar assistência jurídica para o ex-jogador. O procurador foi constituído no processo em 28 de junho.

Condenação

A sentença foi proferida às 6h (horário de Brasília), após a corte analisar todos os depoimentos e provas apresentados durante todo o processo e nos três dias de julgamento.  A expectativa inicial era que a sentença só saísse em março.

"O tribunal considera provado que 'o acusado agarrou abruptamente a denunciante, a jogou no chão e, a impedindo de se mexer, a penetrou pela vagina, mesmo com a denunciante dizendo que não, e que queria sair'. (...). E entende que 'isso cumpre o tipo de ausência de consentimento, com uso de violência, e com acesso carnal'" , diz um trecho da decisão lida pela juíza Isabel Delgado Pérez, da 21ª Seção da Audiência de Barcelona.

Daniel Alves é condenado a 4 anos e 6 meses de prisão por estupro pela Justiça da Espanha:

Além do tempo de reclusão, Daniel Alves terá que cumprir cincos anos de liberdade vigiada (espécie de regime semi-aberto), e ficar nove anos longe de qualquer contato da vítima, sendo proibido de entrar em contato com ela e se manter distante pelo menos 1 km da casa e trabalho da denunciante, além de indenizá-la em 150 mil euros (aproximadamente R$ 800 mil) por danos morais, físicos e ajuda com o custo do processo.

A defesa do ex-jogador brasileiro ainda pode apresentar recurso e apelar para a Sala de Apelações do Tribunal Superior de Justiça da Catalunha. Ele já está preso há 13 meses e esse tempo será descontado da pena.

Daniel Alves: da acusação de estupro à condenação de 4 anos e 6 meses de prisão Daniel Alves: da acusação de estupro à condenação de 4 anos e 6 meses de prisão

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade