PUBLICIDADE

'Que os outros racistas tenham medo', diz Vini Jr. após condenação de torcedores do Valencia

Após saber de punições por preconceito racial, atacante brasileiro agradeceu apoio do Real Madrid e prometeu continuar combate ao racismo

10 jun 2024 - 12h41
(atualizado às 14h25)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Vini Jr, jogador brasileiro, usou sua conta no Instagram para celebrar a condenação de três torcedores do Valencia pela Justiça Espanhola, que proferiram insultos racistas ao atleta no ano passado.
Vini Jr. conquistou a Champions League, marcou o gol do título e foi eleito o jogador da temporada 2023-24
Vini Jr. conquistou a Champions League, marcou o gol do título e foi eleito o jogador da temporada 2023-24
Foto: Reprodução Instagram

O atacante Vini Jr usou sua conta no Instagram para se manifestar sobre a condenação de três torcedores do Valencia nesta segunda-feira, 10, por ataques racistas contra ele. Em sentença inédita, o Tribunal de Justiça da Espanha condenou o trio a oito meses de prisão, além de ficarem dois anos sem entrar em estádios de futebol e a pagar multas.

"Muitos pediram para que eu ignorasse, outros tantos disseram que minha luta era em vão e que eu deveria apenas 'jogar futebol'. Mas, como sempre disse, não sou vítima de racismo. Eu sou algoz de racistas", escreveu. 

Segundo Vini, esta primeira condenação penal da história da Espanha em casos de racismo no futebol não é por ele, mas sim "por todos os pretos". 

"Que os outros racistas tenham medo, vergonha e se escondam nas sombras. Caso contrário, estarei aqui para cobrar. Obrigado a La Liga e ao Real Madrid por ajudarem nessa condenação histórica. Vem mais por aí...", finalizou o jogador.

Relembre o caso

Vinicius Júnior foi vítima de racismo na Espanha em 21 de maio do ano passado, no estádio Mestalla. Parte da torcida do Valencia, que enfrentou e venceu o Real Madrid por 1 a 0, gritou insultos racistas direcionados ao jogador brasileiro no segundo tempo da partida, que foi paralisada e depois retomada pelo árbitro por causa das ofensas.

Nos acréscimos da partida, o brasileiro, revoltado e desestabilizado pelos rivais, foi expulso depois de se desentender com o atacante Hugo Duro, em quem acertou o braço. Ele levou cartão amarelo, mas após revisão do lance pelo VAR, foi expulso pela arbitragem.

O episódio gerou revolta no Real Madrid, cujo técnico Carlo Ancelotti dedicou sua entrevista coletiva inteira para falar sobre o caso de racismo ao fim da partida. A polêmica aumentou em seguida quando o presidente da LaLiga, Javier Tebas, criticou Vinicius por ter reclamado da postura da entidade diante dos casos de racismo.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade