PUBLICIDADE

Daniel Alves será encaminhado para julgamento por agressão sexual

Despacho feito mostra que o processo já possui uma série de elementos que são suficientes para o encaminhamento por agressão sexual

14 nov 2023 - 15h58
(atualizado às 16h59)
Compartilhar
Exibir comentários
Daniel Alves está preso desde 20 de janeiro respondendo a processo por estupro –
Daniel Alves está preso desde 20 de janeiro respondendo a processo por estupro –
Foto: Reprodução/Instagram / Jogada10

O lateral Daniel Alves vai a julgamento por agressão sexual. A informação é do Tribunal de Barcelona, da Espanha.

O despacho feito mostra que o processo já possui uma série de elementos que são suficientes para o encaminhamento por agressão sexual. Restam ainda algumas testemunhas e a vítima para prestarem esclarecimentos. A condução do atleta deve ocorrer após essa fase.

Caso Daniel Alves: investigação termina e atleta será julgado por agressão sexual Caso Daniel Alves: investigação termina e atleta será julgado por agressão sexual

"Consideramos que existem indícios suficientes para acordar a abertura do julgamento oral nos termos que solicita o Ministério Fiscal e a acusação particular, conforme o previsto no art. 645.2 LECrim. As manifestações de presunção de vítima, as declarações das testemunhas e relatórios periciais que constam devem ser considerados como suficiente para tal efeito", diz o documento.

Defesa e acusação têm agora cinco dias para elaborar suas decisões por absolvição ou condenação. Embora já tenha uma decisão do Tribunal, não existe uma previsão correta para o julgamento acontecer.

Relembre o caso de Daniel Alves

O lateral está preso desde o último 20 de janeiro. Ele á acusado de agressão sexual contra uma jovem de 23 anos, no fim de dezembro. A Justiça, aliás, ordenou a prisão após depoimentos contraditórios do jogador brasileiro.

Na última vez que falou, Daniel reconheceu que teve relações sexuais de forma consensual. No entanto, revelou que mentiu para preservar seu casamento.

Daniel Alves, afinal, mudou de advogado. Cristóbal Martell, que era seu advogado, uma das referências na Espanha, abandonou o caso. Martell, inclusive, disse que deixou a causa por acreditar que o resultado não será positivo. A nova defensora, Inés Guardiola, é uma jovem de 35 anos e especialista em violência sexual.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: Twitter, Instagram e Facebook.

 
 
Jogada10
Compartilhar
Publicidade
Publicidade