PUBLICIDADE

40 anos de Indiana Jones: relembre aventuras do herói nos games

O mais famoso arqueólogo do cinema tem uma longa história no mundo dos jogos

18 jun 2021 15h45
| atualizado às 16h04
ver comentários
Publicidade
Indiana Jones e os Caçadores da Arca Perdida
Indiana Jones e os Caçadores da Arca Perdida
Foto: Lucasfilm / Divulgação

O tempo é realmente irônico: quem diria que Indiana Jones, o caçador de relíquias mais famoso das telas se transformaria em uma… relíquia do cinema? Afinal, há 40 anos, em 1981, foi lançado “Indiana Jones e Os Caçadores da Arca Perdida”, filme que deu origem a uma bem sucedida franquia de aventuras do professor de arqueologia Henry Jones Júnior, interpretado por Harrison Ford, que nas horas vagas trocava as pacatas salas de aula por épicas missões envolvendo armadilhas mortais, nazistas ensandecidos e toda a sorte de desafios naturais.

Se nos cinemas Indiana Jones protagonizou apenas 4 filmes nesses anos todos - com um quinto vindo aí - nos games o personagem foi capa de uma série de jogos lançados para as mais diversas plataformas, desde oAtari 2600, chegando até os consoles de nova geração, com um jogo em desenvolvimento na Bethesda neste momento.

Conheça - ou relembre - as aventuras de Indiana Jones no reino dos jogos eletrônicos:

Raiders of the Lost Ark

A aventura de Indiana Jones nos videogames começa pelo Atari 2600, em 1982, com uma versão de "Caçadores da Arca Perdida", baseado no filme homônimo lançado nos cinemas um ano antes, em 1981. O Raiders of the Lost Ark do Atari é levemente baseado no filme, uma vez que era impossível reproduzir a ação da telona no limitado console 2600. Ainda assim, Howard Scott Warshaw, desenhista do game, usou um esquema que envolvia jogar com os dois controles do Atari 2600 (para quem não sabe, o controle tinha apenas 1 botão), para conseguir fazer o jogador movimentar Indy e poder usar itens necessários para vencer os desafios do game. Warshaw também foi responsável, um ano depois, pelo desenvolvimento do game E.T, um dos piores games de todos os tempos. Mas em Indiana Jones, ele entregou uma boa aventura para o limitado Atari 2600.

Indiana Jones and the Temple of Doom

Temple of Doom
Temple of Doom
Foto: Atari / Reprodução

Baseado no segundo filme da franquia cinematográfica, “Indiana Jones e o Templo da Perdição”, esse título da Atari Games foi lançado direto para os fliperamas da época em 1985, uma ano após o lançamento do longa-metragem. Dessa vez sem as amarras técnicas do Atari 2600, Temple of Doom se focou na ação, e graficamente conseguiu exibir elementos mais próximos ao filme no qual foi baseado. 

Por ser de arcade, o jogo é curto e muito difícil, se limitando a três fases apenas, sendo a primeira uma sequência de plataformas e armadilhas em que Indy precisa resgatar crianças escravas para prosseguir; a fase seguinte é uma corrida de obstáculos com Indy em um carrinho de mina, em que ele tem que fugir dos tugues, e a terceira fase, se limitando a uma tela em que o jogador precisa pegar a pedra mística. O chefe final só aparece após esse processo ser repetido três vezes, e aí sim o jogo chega ao seu final. Haja habilidade (e um montão de fichas) para chegar lá.

Três anos depois, em 1988, O Nintendo 8-bits recebeu uma conversão bastante criticada por sua dificuldade excessiva e controles ruins. 

Indiana Jones' Greatest Adventures

Se em 1994 a franquia Indiana Jones vivia um período de geladeira, nos video games Indiana Jones se manteve razoavelmente ocupado, a exemplo do título “Indiana Jones' Greatest Adventures”, lançado exclusivamente para o Super Nintendo. Feito com a mesma engine dos games da franquia Star Wars lançados para o console 16-bits da Nintendo, Greatest Adventures é um game bastante difícil e que exige reflexos apurados por parte do jogador. Como o título do jogo indica, o game contém fases baseadas em momentos vividos por Indy nos três filmes lançados até então, contando com 28 estágios no total. Bons gráficos e versões competentes da trilha dos filmes completam o pacote de Greatest Adventures.

Indiana Jones and the Infernal Machine

Indiana Jones and the Infernal Machine
Indiana Jones and the Infernal Machine
Foto: Nintendo/Lucas Games / Reprodução

Após um hiato de 5 anos sem lançamentos, Indiana Jones retorna aos games com título “Indiana Jones and the Infernal Machine”, inicialmente lançado para computadores em 1999, e um anos depois, em 2000, para o Nintendo 64. Assim como em Fate of Atlantis, Infernal Machine também conta com uma trama original, que coloca Indiana Jones contra vilões soviéticos, que substituem os antagonistas nazistas presentes nos filmes e jogos de até então. 

Seguindo a trilha de sucessos da época, como The Legend of Zelda Ocarina of Time, e principalmente, Tomb Raider, Indiana Jones and the Infernal Machine é estruturado como um jogo de exploração tridimensional, contando com boa variedade de ruínas, selvas e cavernas, e complicados quebra-cabeças. Em 2001, Indiana Jones and the Infernal Machine ganhou uma versão 8-bits para o Game Boy Color, contando a mesma trama das versões para aparelhos de mesa.

LEGO Indiana Jones: The Original Adventures

Nos anos 2000, a franquia Lego fez grande sucesso com os jogos baseados em Star Wars, então o movimento em direção à Indiana Jones naturalmente acabou ocorrendo em 2008 com o lançamento de “LEGO Indiana Jones: The Original Adventures”, lançado para as principais plataformas da época. Assim como já havia ocorrido com “Indiana Jones' Greatest Adventures” de SNES, LEGO Indiana Jones faz um pot-pourri dos filmes clássicos de Jones em suas fases, adaptadas para o público infantil, ou seja, com dificuldade bastante suavizada e sem nenhum traço de violência. O jogo ganhou uma sequência um ano depois, batizada de “LEGO Indiana Jones 2: The Adventure Continues”, também multiplataforma e dessa vez contando com elementos do quarto filme da franquia, “Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal”, lançado originalmente em 2008.

Indiana Jones and the Staff of Kings

Em 2009, Indiana Jones retorna para mais uma aventura original, desta vez com versões para vários consoles. “Indiana Jones and the Staff of Kings” se passa em 1939, assim contando com o retorno dos tradicionais nazistas como os vilões da história. Staff of Kings é mais orientado à ação que the Inferna Machine, e tem uma estrutura de jogo mais linear, quase como se fosse um filme interativo em algumas partes. A versão Nintendo Wii foi a base para as demais versões, contando com os melhores gráficos, porém os controles por movimento nem sempre respondem bem, o que fez com que o jogo fosse mal avaliado por alguns críticos da época. 

INDIANA JONES

Anunciado em janeiro de 2021 pela Bethesda, o próximo game de Indiana Jones conta com a produção da MachineGames, estúdio responsável por ressucitar a franquia Wolfenstein e com Todd Howard, de Fallout e Skyrim, como produtor executivo. Ainda se sabe bem pouco sobre o novo game, exceto que será uma aventura inédita estrelada pelo lendário arqueólogo e será ambientada no auge de sua carreira como aventureiro.

 

 

A próxima aventura de Indiana Jones nos games ainda não tem uma data para chegar nem plataformas confirmadas, mas assim como outros lançamentos futuros da Bethesda, deverá estar disponível no PC e em consoles Xbox.

Fonte: Game On
Publicidade
Publicidade