10 eventos ao vivo

Ondas ruins marcam primeiro dia da etapa de Teahupoo

Quatro surfistas brasileiros venceram suas baterias e estão na terceira fase da sétima parada do Circuito Mundial

11 ago 2017
22h19
atualizado em 12/8/2017 às 11h54
  • separator
  • comentários

Com o mar longe de suas melhores condições, os surfistas iniciaram a competição em Teahupoo, no Taiti. Sem os famosos tubos, as baterias contaram com médias baixas e poucos bons momentos. Poucos foram os surfistas que superaram os dez pontos.

Para a Tempestade Brasileira não foi diferente. Entre os nove surfistas verde e amarelos presentes na etapa, quatro - Adriano de Souza, Ítalo Ferreira, Gabriel Medina e Ian Gouveia - se classificaram para a terceira fase. Vão para a repescagem: Jadson André, Wiggolly Dantas, Filipe Toledo, Miguel Pupo e Caio Ibelli.

Com um mar pouco consistente, os surfistas fizeram de tudo para agradar os juízes e conseguir boas notas. Os destaques ficaram com Ian Gouveia (15,00) John John Florence (14,90) e Adrian Buchan (14,33), que conseguiram as maiores médias do campeonato.

- Eu estou superexcitado em estar aqui no Taiti e competindo aqui em Teahupoo. É uma onda que eu preciso ganhar mais experiência, mas já é muito bom estar aqui, fazendo o que eu mais gosto. As ondas não estão como nos outros anos, com altos tubos, mas esse lugar é especial, diferente de tudo, então quero aproveitar ao máximo cada oportunidade - disse Ian Gouveia.

Gabriel Medina também chegou a casa dos 14 pontos e comentou sobre o primeiro dia de competição.

- Eu simplesmente adoro Teahupoo, é uma onda incrível em qualquer condição. Nós estamos num paraíso e me sinto muito bem aqui. Eu já tive alguns bons resultados aqui, especialmente quando venci (em 2014) e as ondas estavam bombando altos tubos. Neste ano, as previsões não são boas, mas foi divertido competir hoje (sexta-feira). Qualquer um é capaz de vencer aqui nessas condições e eu me sinto pronto também - afirmou o campeão mundial.

A partir da nona bateria, as condições melhoraram, com ondas mais consistentes, permitindo aos surfistas manobras mais consistentes e, consequentemente, melhores ondas.

Entre os que brigam pela liderança do ranking mundial, o atual líder Matt Wilkinson (AUS) quase foi surpreendido pelo local Taumata Puhetini (TAH). Dois décimos foram responsáveis pela classificação do camiseta amarela. John John encontrou dois bons tubos e avançou com facilidade. Adriano de Souza (quinto colocado) também não teve grandes dificuldades para vencer sua bateria.

Agora, quem se complicou foi o quarto colocado no ranking, o sul-africano Jordy Smith. Na quarta bateria do dia, ele foi superado por Juan Duru e está na repescagem. Caso seja novamente derrotado, Smith se despedirá da competição do Taiti com a 25ª colocação.

Lembrando que a etapa não conta com o americano Kelly Slater que fraturou o pé durante uma sessão de treinamentos antes da etapa de Jeffreys Bay, na África do Sul, e se recupera de uma cirurgia. Seu substituto foi o compatriota Nat Young.

O desejo da organização é encerrar o evento até segunda-feira já que, após esta data, a previsão é de que a condição do mar piore.

Ian Gouveia faz melhor média do dia

Com o mar apresentando melhores condições, o brasileiro Ian Gouveia brilhou na 12ª bateria da primeira fase ao somar 15,00 (7,83 e 7,17) pontos. Muito a vontade nas ondas do Taiti, o novato no WCT mandou Michel Bourez e Frederico Morais para a repescagem.

Ian Gouveia conseguiu a melhor média do primeiro dia de Teahupoo (WSL / Pierre Tostee)
Ian Gouveia conseguiu a melhor média do primeiro dia de Teahupoo (WSL / Pierre Tostee)
Foto: LANCE!


Adrian Buchan consegue única nota excelente


Em bateria com Filipe Toledo e Miguel Pupo, quem brilhou foi o australiano Adrian Buchan. Encontrando o melhor tubo do dia, o surfista conseguiu a maior nota dos juízes, com 8,83. A onda com conceito excelente foi a responsável por garantir o australiano na terceira fase.


Confira os resultados da primeira fase:


1: Joel Parkinson (AUS) 10,00 X Jadson André (BRA) 8,30 X Jeremy Flores (FRA) 7,50
2: Adriano de Souza (BRA) 8,77 X Nat Young (EUA) 6,27 X Bede Durbidge (AUS) 3,36
3: Ítalo Ferreira (BRA) 12,50 X Owen Wright (AUS) 9,40 X Josh Kerr (AUS) 7,57
4: Joan Duru (FRA) 12,26 X Jordy Smith (AFS) 7,83 X Ethan Ewing (AUS) 7,17
5: John John Florence (HAV) 14,90 X Ezekiel Lau (HAV) 10,93 X Aritz Aranburu (ESP) 9,37
6: Matt Wilkinson (AUS) 7,33 X Taumata Puhetini (TAH) 7,13 X Wiggolly Dantas (BRA) 7,10
7: Adrian Buchan (AUS) 14,33 X Filipe Toledo (BRA) 5,87 x Miguel Pupo (BRA) 5,27
8: Julian Wilson (AUS) 12,77 X Conner Coffin (EUA) 9,17 X Kanoa Igarashi (EUA) 2,90
9: Gabriel Medina (BRA) 14,09 X Stuart Kennedy (AUS) 8,60 X Caio Ibelli (BRA) 6,50
10: Connor O'Leary (AUS) 13,10 X Leonardo Fioravanti (EUA) 11,94 X Sebastian Zietz (HAV) 10,64
11: Kolohe Andino (EUA) 13,57 X Mick Fanning (AUS) 13,47 X Jack Freestone (EUA) 11,67
12: Ian Gouveia (BRA) 15,00 X Michel Bourez (TAH) 10,67 X Frederico Morais (POR) 9,56

LANCE!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade