0

Joana Maranhão comenta processo de Felipe França contra ela

França processou a nadadora pelos comentários por ofensa moral e religiosa

6 mai 2019
17h08
atualizado às 17h31
  • separator
  • comentários

Joanna Maranhão e Felipe França 'bateram boca' no Twitter em março deste ano, após as mudanças na Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) que definiu que provas de 50m que nos estilos peito, costas e borboleta sejam disputados em campeonatos infantis nessa temporada. Joanna era contra e Felipe a favor, o que gerou um acalorado debate entre os dois.

A discussão pública tomou o rumo dos tribunais. Felipe moveu um processo contra Joanna alegando que foi alvo de ofensa moral e religiosa. A ex-nadadora, que sofreu assédio sexual na infância por parte de um ex-técnico, relembrou o que também foi processada pelo treinador e afirmou que 'está cagando' para o processo movido por França.

Joana Maranhão e Felipe França discutiram em março deste ano (Foto: Divulgação)
Joana Maranhão e Felipe França discutiram em março deste ano (Foto: Divulgação)
Foto: LANCE!

"Ser processada pelo cara que enfiou a mão no teu maiô, te bolinou e te despiu na cama da própria esposa. É ouvi-lo dizer na audiência 'eu não fiz nada, ela quer acabar com minha vida, eu sou um pai de família'. É ter que ficar calada, digerindo isso e seguir nadando. Porque era minha profissão, eu tinha contrato. Eu tinha que cumprir 5/7km de treino quando tudo que eu queria era ficar dentro de casa chorando. Mas não dava. De quebra eu ainda ouvia das pessoas 'tá nadando mal, não aguenta pressão, não é mais a mesma'. É muita coisa essa porra desse processo. Que os mais próximos acompanharam, me deram força pra caralho, inclusive quando eu enfiava tudo que é remédio pra dentro porque eu queria acabar com aquela dor. Por um tempo eu: fingia que treinava, bebia muito, fumava maconha, tomava anti depressivo, ficava com um monte de gente. Era minha maneira de me 'anestesiar', disse, antes de completar.

"Bons e longos anos de terapia pra organizar tudo isso, focar na natação (porque eu realmente queria aquilo), ter alta de anti depressivo, parar de beber, não tocar em nada de maconha nem o que me tirava do equilíbrio, encontrar um cara paciente que me fizesse entender que eu podia ter uma vida sexual tranquila. Resumidamente, é minha história", escreveu.

Ela finalizou: "Portanto, tô cagando pra processo de Felipe França e pra quem mais duvidar de tudo isso. Eu tenho um puta orgulho de ter chegado até aqui, sabe? E isso tem que significar muito PRA MIM, e pra mais ninguém", completou.

Veja também:

 

Lance!
  • separator
  • comentários
publicidade