2 eventos ao vivo

Jessica Bate-Estaca promete 'nova versão' em revanche contra Namajunas: 'Vou superar as expectativas de muita gente'

Jessica Bate-Estaca abre o jogo, rebate os críticos, fale de período difícil após perda de cinturão, mas revela que vai trazer uma 'versão completamente diferente' de si para a revanche contra Rose Namajunas, que acontece no próximo sábado (11), no UFC 251

6 jul 2020
16h43
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Por Mateus Machado

Jessica Bate-Estaca retorna em revanche contra Rose Namajunas no UFC 251 (Foto: Reprodução/UFC)
Jessica Bate-Estaca retorna em revanche contra Rose Namajunas no UFC 251 (Foto: Reprodução/UFC)
Foto: Lance!

Após a perda do cinturão peso-palha em agosto do ano passado, quando foi nocauteada por Weili Zhang em apenas 42 segundos de luta, Jessica Bate-Estaca retornaria ao cage do Ultimate em abril, no UFC 249, mas viu seu combate contra Rose Namajunas ser cancelado após a americana perder dois familiares, vítimas do coronavírus. A revanche, então, foi remarcada e acontecerá no próximo sábado (11), no aguardado UFC 251, card que marcará a estreia dos eventos da organização na "ilha da luta", que ficará situada em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes.

Sem entrar em ação há quase um ano, a brasileira promete uma "nova versão" em seu retorno. Em entrevista à TATAME, Jessica afirmou que procurou mudar sua estratégia dos últimos duelos e algumas de suas técnicas após a primeira luta contra Namajunas e também depois da derrota contra Zhang, ressaltando que os fãs de MMA e, principalmente a americana, vão assistir à uma "Jessica completamente diferente" no UFC 251.

- A gente já vinha treinando esquivas, entradas de quedas diferentes, então a Rose vai ver uma Jessica totalmente diferente, uma Jessica que ela não está esperando. Não é aquela Jessica que fica plantada, que espera o golpe entrar, mas que vai se movimentar o tempo inteiro, vai colocar chutes, golpes muito fortes. Mudei nesse quesito, até mesmo para não ter surpresas e acho que vou superar as expectativas de muita gente - projetou a ex-campeã.

Confira a entrevista completa com Jessica Bate-Estaca:

- Cancelamento da luta contra Rose em abril

Para mim, não foi tão ruim. A gente foi (para os Estados Unidos, onde aconteceria a luta, inicialmente), fiquei treinando e eu tive muitas experiências boas em Las Vegas, inclusive surgiu essa vontade de passar um período nos EUA, aprender a falar inglês, estar mais perto do chefe (risos), do UFC. Mesmo que não tenha acontecido o evento, que a Rose tenha perdido dois familiares por conta da Covid-19… Isso deixa a gente triste, mas depois o evento foi cancelado por conta da pandemia, com isso eu voltei para casa, tive mais tempo para treinar e me dedicar para essa luta. Eu consegui tirar coisas boas de tudo isso, agora vai acontecer a luta e estou mais que pronta para esse novo duelo contra ela.

- O que mudou da primeira luta contra a Rose para essa revanche?

Teve uma grande mudança. A primeira luta que tive contra ela me fez repensar muito na minha estratégia, até porque cheguei a levar alguns golpes no rosto e naquela luta eu tive mais tempo para estudar o jogo dela, eram cinco rounds, agora vão ser três e não vou ter muito tempo. Então, eu e o mestre conversamos muito e a gente mudou totalmente a forma de treinar, principalmente lá em Las Vegas. A gente já vinha treinando esquivas, entradas de quedas diferentes, então a Rose vai ver uma Jessica totalmente diferente, uma Jessica que ela não está esperando. Não é aquela Jessica que fica plantada, que espera o golpe entrar, mas que vai se movimentar o tempo inteiro, vai colocar chutes, golpes muito fortes. Mudei nesse quesito, até mesmo para não ter surpresas e acho que vou superar as expectativas de muita gente.

- O que você tem a falar aos que disseram que seu bate-estaca na Rose foi um 'golpe de sorte'?

No começo, eu até me importei bastante com esses comentários, porque não foi sorte, foi muito treino. Eu já vinha fazendo essas quedas há muito tempo e foi treino, muita preparação. Eu já tinha aplicado quedas na Claudia (Gadelha), na Tecia Torres, na Angela Hill, então não tinha como ser sorte. No começo até me incomodei, mas depois pensei: quer saber, são pessoas que estão em casa, são treinadores de sofá, nunca entraram no octógono, nunca levaram soco na cara para saber como é ter sorte e como é treinar de verdade. Passei a não me importar com os comentários e coloquei na minha cabeça que iria voltar ainda mais forte. Mesmo com a derrota contra a Weili Zhang, onde aconteceram algumas coisas durante esse período, eu disse que voltaria melhor. Eu não preciso provar nada para ninguém. A quantidade de lutas que tenho no UFC, minha história, tudo que já passei, isso já é suficiente para provar o quanto sou boa e campeã no que eu faço.

- Fuso horário de Abu Dhabi e luta no início da manhã no horário local

Fiquei sabendo disso há pouco tempo, que o evento vai começar de madrugada em Abu Dhabi, para se adequar ao horário de Las Vegas. Estou procurando me adaptar da melhor forma e a intenção é não sair do fuso brasileiro, porque minha luta deve ser às 6h (horário local, 23h horário de Brasília), então é ficar nesse fuso, treinar de madrugada e descansar durante o dia. Mas é ver melhor com meu mestre, confio muito no que ele fala para mim. Como fiquei sabendo disso muito em cima da hora, não deu tempo de me adaptar no Brasil, mas de qualquer forma, vou estar preparada e bem.

- De que forma a derrota para a Weili Zhang te impactou?

No começo, quando perdi o cinturão, eu fiquei alguns dias triste, não queria voltar para a academia, não queria ver ninguém, só queria ficar no quarto. Mas logo isso passou, tive muito apoio da minha esposa, do mestre, do meu sogro e da minha sogra. Isso passou e pensei: cara, olha a história que eu fiz no UFC, olha o que eu já caminhei para deixar uma derrota mexer com minha cabeça. Eu já perdi algumas vezes, então eu tenho que voltar ainda mais forte e mostrar que a derrota faz parte da vida. Essa Jessica nova que quero apresentar no UFC 251 é uma Jessica melhorada, que evoluiu na mente e na questão de luta. Acho que vai ser uma Jessica que ninguém espera, que apanha menos, bate mais e movimenta também. Aumentei meu arsenal de quedas, melhorei muito nisso. Minha cabeça está muito boa e criei mais maturidade, aprendi bastante na minha derrota contra a Weili Zhang e vocês vão ver o resultado. Ela que me aguarde, porque vai ser frenético do início ao fim.

CARD COMPLETO:

UFC 251
Ilha da Luta, em Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos
Sábado, 11 de julho de 2020

Card principal
Peso-meio-médio: Kamaru Usman x Jorge Masvidal
Peso-pena: Alexander Volkanovski x Max Holloway
Peso-galo: Petr Yan x José Aldo
Peso-palha: Jéssica Bate-Estaca x Rose Namajunas
Peso-mosca: Amanda Ribas x Paige VanZant

Card preliminar
Peso-meio-pesado: Volkan Oezdemir x Jiri Prochazka
Peso-meio-médio: Elizeu Capoeira x Muslim Salikhov
Peso-pena: Makwan Amirkhani x Danny Henry
Peso-leve: Léo Santos x Roman Bogatov
Peso-pesado: Marcin Tybura x Maxim Grishin
Peso-mosca: Raulian Paiva x Zhalgas Zhumagulov
Peso-galo: Karol Rosa x Vanessa Melo
Peso-galo: Martin Day x Davey Grant

Veja também:

Final do Paulistão e início do Brasileiro são os destaques do fim de semana
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade