0

Balanço dos jovens: quem sai em alta e baixa após a derrota do Vasco

Abel Braga teve bons rendimentos em jogo complicado para o Cruz-Maltino, mas ainda vê elenco com muitas carências nesse início de temporada

23 jan 2020
07h02
atualizado às 07h02
  • separator
  • 0
  • comentários

Mais do que a disputa por pontos no Campeonato Carioca, o clássico entre Vasco e Flamengo serviu para dar experiência a muitos jovens. Alguns deles, inclusive, sequer haviam estreado pelo time profissional. Do lado Cruz-Maltino, Abel Braga optou por levar apenas Gabriel Pec da equipe que empatou com o Bangu na estreia. Na derrota por 1 a 0 no Maracanã, algumas lições sobre a importância de contratar reforços e a observação de bons valores que podem ser importantes para a sequência em 2020.

Ulisses foi o destaque na zaga do Vasco (Foto: Marcelo Cortes / Flamengo)
Ulisses foi o destaque na zaga do Vasco (Foto: Marcelo Cortes / Flamengo)
Foto: Lance!

A escolha se deu pela quantidade de jogos que o Vasco terá pela frente. Além disso, foi a oportunidade do treinador observar algumas peças em ação. Dos 20 relacionados para a partida, 18 foram formados na base vascaína (menos Ribamar e Marcos Jr). Entre os que foram titulares, Cayo Tenório e Juninho nunca haviam jogado pela equipe principal. Outros três, Ulisses (1), Miranda (2) e Alexandre (1), fizeram poucas partidas fora do sub-20.

Quem saiu com destaque foram os volantes Andrey e Juninho. O primeiro vem desde o ano passado buscando oportunidades na equipe titular e, apesar de perder espaço na maior parte da temporada, conseguiu aparecer mais na reta final. Hoje, ele é visto por Abel Braga já como um dos experientes e parte do grupo principal, diferente dos outros jovens que passam por período de observação e adaptação. Já Juninho não sentiu o peso do primeiro jogo como profissional. Destaque da partida, o jogador pode ser importante para um Vasco que ainda busca reestruturar o setor depois de perder Fellipe Bastos e Fredy Guarín.

TABELA
> Veja a classificação do Campeonato Carioca
- Eu tenho trabalhado muito para aproveitar as oportunidades. Acredito que o resultado não pode manchar a atuação da equipe. Tivemos muita vontade e garra. Claro que é uma equipe jovem, então oscila muito durante a partida. Mas tenho certeza que não só eu, mas outros também tentaram aproveitar da melhor forma possível para ajudar o Vasco. Somos um grupo jovem e temos um grande ano pela frente - afirmou Andrey na zona mista após a partida.

Jovem, mas no grupo dos mais experientes, Gabriel Pec fez o décimo jogo no profissional e entrou para tentar salvar a criação, mas não foi eficiente. Foi também o caso de Tiago Reis e Ribamar, que apareceram mais vezes em 2019, mas são reservas e ainda lutam para conquistar espaço - ambos deixaram a desejar. Marcos Júnior teve atuação regular. Entre os que voltaram de empréstimo e carregavam bastante expectativa, o goleiro Jordi não teve muitos problemas, diferente do meia Lucas Santos, que foi mal.

Na defesa, formada apenas por atletas mais novos, os laterais tiveram noite complicada, mas precisam se recuperar rápido, já que, atualmente, são os reservas imediatos na direita e na esquerda. Cayo Tenório se saiu um pouco melhor, apesar de ter sofrido com as investidas do Flamengo. Já Alexandre sofreu na hora do gol e falhou na marcação, mas apareceu bem na fase ofensiva no restante do confronto. Miranda - na fila atrás de Ricardo Graça - ficou devendo e também vacilou, enquanto Ulisses - primeiro reserva do lado direito da zaga - foi mais seguro.

- Tem sido um grande aprendizado não só para mim, mas para todos. Tentamos pegar o máximo dos mais experientes, como Castan, o Pikachu, que é quem joga na minha posição. Tentamos pegar dicas e toques para fazer o melhor dentro de campo - disse o lateral-direito Cayo Tenório.

E os reforços?

A utilização do "time B" para o clássico reforçou a importância do Vasco ser mais ativo na janela de transferências. Isso porque, mesmo com alguns bons talentos entre os jovens da base, atuar com um grupo jovem é arriscado. Apesar do time titular atualmente ter encontrado uma formação ideal, é o banco de reservas que mais preocupa neste momento. E Abel Braga avisa, o Cruz-Maltino não pode errar.

- Sabemos que não podemos errar. Isso é muito ruim. Você tem que pensar muito, pegar informações, são tantas coisas para analisar, saber se o cara tem característica para fazer o que você quer. Estamos tentando e vamos trazer jogador. Não tenho dúvida. Mas aqui tem uma base salarial e temos o cuidado de não errar. Tem clubes que querem se desfazer de alguns atletas e pagam até parte de salário. E por aí. Até o Brasileiro devem chegar dois ou três - analisou Abel em entrevista coletiva.

Veja também:

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade