PUBLICIDADE

Relatório alerta para os riscos do 'calor extremo' nos Jogos Olímpicos de Paris

Estudo ‘Rings of Fire’ apontou perigos e medidas que podem ser tomadas

20 jun 2024 - 19h55
(atualizado em 21/6/2024 às 00h02)
Compartilhar
Exibir comentários
Jogos Olímpicos de Paris
Jogos Olímpicos de Paris
Foto: Reprodução/Instagram/Paris-2024

O relatório climático Rings of Fire alertou para os riscos do calor durante durante os Jogos Olímpicos de Paris-2024. O estudo divulgado nesta semana foi feito por pesquisadores da Associação Britânica para o Esporte Sustentável (BASIS) e contou com a participação de atletas e ex-atletas olímpicos.

De início, a pesquisa relembrou que os Jogos de Tóquio-2020 foram “os mais quentes da história”, com temperaturas acima de 34ºC e umidade de quase 70%. Desmaios, vômitos e uso de cadeiras de rodas por atletas foram citados pelo estudo para exemplificar o calor enfrentado no Japão. 

Agora, a expectativa é de que a situação seja parecida ou até pior. O relatório mencionou o dia mais quente da história francesa, registrado em 2019, com pico de 45,9°C. Na ocasião, Paris marcou 42,6°C. Por sua vez, 2022 foi o ano mais quente da história francesa.

“As próximas Olimpíadas de Paris estão chegando, e casos notáveis de calor extremo que prejudicam a saúde e o prazer do espetáculo esportivo têm aumentado nos anos seguintes [após os Jogos de Tóquio]. O fato de as Olimpíadas acontecerem durante o alto verão significa que a ameaça de um devastador período de calor é real”, disse o estudo.

Além dos exemplos recentes, o Rings of Fire destacou a onda de calor registrada em 2003, quando mais de 14 mil pessoas morreram na França. Na época, a maior temperatura em Paris foi de 39,5ºC.

Em comparação a 1924, último ano em que Paris sediou uma Olimpíada, a cidade registrou um aumento surpreendente de 3,1ºC na temperatura média no período do evento. Porém, na época dos Jogos Paralímpicos, entre agosto e setembro, essa média teve aumento de apenas 1ºC. 

Efeitos do calor

Entre os problemas causados pelo calor, a pesquisa elencou, por exemplo, a dificuldade de regulação da temperatura corporal, queimaduras na pele, exaustão e colapso por insolação em atletas, profissionais e torcedores. Ou seja, o prejuízo pode ser tanto para a saúde quanto para o esporte.

Para combater os efeitos do calor em Paris, o relatório apontou algumas medidas que podem ser tomadas durante o evento:

  • Agenda inteligente: os organizadores devem evitar que modalidades disputadas em espaços abertos tenham seus eventos realizados nos horários mais quentes do dia;
  • Manter os atletas em segurança: limitar a exposição de atletas ao sol e fazer pausas para hidratação;
  • Conscientização de atletas: incentivar atletas a falarem sobre questões ambientais e riscos do calor;
  • Colaboração: incentivar a união de atletas e entidades esportivas no debate do tema;
  • Avaliação de patrocinadores: a pesquisa explicou que o esporte deve reavaliar o relacionamento com empresas de combustíveis fósseis.

Os Jogos Olímpicos de Paris serão entre os dias 26 de julho e 11 de agosto.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade