PUBLICIDADE

Jogos de Paris

Paris 2024 inaugura "Casa do Orgulho" para os Jogos Olímpicos

17 mai 2024 - 16h39
Compartilhar
Exibir comentários

Os organizadores da Olimpíada de Paris 2024 inauguraram nesta sexta-feira a "Casa do Orgulho" para os Jogos Olímpicos, próxima à icônica ponte Alexandre 3º e a poucos passos do Grand Palais e da Praça da Concórdia.    Segundo Jeremy Goupille, co-presidente da Fier-Play, a associação estabelecida em 2022 para supervisionar a organização da segunda "Casa do Orgulho" na França, após a já usada durante a Eurocopa de 2016, a barcaça no Rio Sena foi desenhada para ser um local que promoverá "a inclusão para e por meio do esporte".

"Ela está aqui para garantir que todos aqueles que venham de todo o mundo tenham um lugar onde se sintam em casa, sintam-se bem-vindos, onde possam ser quem são, quando às vezes isso não é possível em seus próprios países", disse à Reuters Aurore Berge, ministra francesa da Igualdade entre Homens e Mulheres, no dia Mundial Contra a Homofobia, a Bifobia e a Transfobia.    De acordo com um estudo publicado pelo Ministério do Interior francês, crimes contra a comunidade LGBTQIA+ registrados pela polícia subiram 13% em 2023 na França, em comparação com o ano anterior.    Desde a primeira iniciativa do tipo, ocorrida em 2010 para os Jogos Olímpicos de Inverno em Vancouver, mais de 20 "Casas do Orgulho" foram montadas em eventos esportivos como Jogos Olímpicos e Copas do Mundo.    O conceito, contudo, não foi adotado para os Jogos de Inverno de Sochi, na Rússia, em 2014. Naquela ocasião, os espaços foram abertos fora do território russo.    A "Casa do Orgulho" de Paris 2024 abrirá um dia depois da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, em 27 de julho, e ficará disponível até 11 de agosto. Ela também abrirá, em local desconhecido, para as Paralimpíadas, entre 27 de agosto e 8 de setembro.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade