PUBLICIDADE

COI confirma mais 21 casos de covid-19 na Olimpíada de Tóquio, mas nenhum deles em atletas

Desde o início da contabilização, organização dos Jogos registra 251 infecções, sendo 26 em competidores; cidade bate recorde de contaminados

31 jul 2021 02h53
| atualizado às 11h39
ver comentários
Publicidade

O Comitê Olímpico Internacional (COI) confirmou na noite desta sexta-feira (manhã de sábado no Japão) mais 21 casos de covid-19 em pessoas que estão trabalhando em delegações ou na organização dos Jogos de Tóquio. A lista de novos contaminados registrados no boletim não tem nenhum atleta, diferente da atualização anterior, que confirmou três casos entre participantes.

Segundo o boletim, não houve registro de novos casos em hóspedes da Vila Olímpica e 16 das pessoas que se contaminaram são residentes do Japão. Com as novas confirmações, o total de envolvidos com a Olimpíada que contraíram covid-19 desde o dia 1º de julho, quando a organização iniciou a contabilização, é de 251, dos quais 26 são atletas.

O competidor de mais renome que precisou abandonar a disputa por causa da covid foi o norte-americano San Kendricks, medalhista de bronze no salto com vara nos Jogos do Rio-2016 e campeão mundial de 2017. O teste positivo foi anunciado na quarta-feira, e as provas do atletismo começaram na quinta.

A preocupação com a intensificação da pandemia está cada vez maior no Japão. Em apelo feito nesta sexta-feira, quando foram registrados 10.743 novos casos no país, o primeiro-ministro Yoshihide Suga afirmou que o "coronavírus está se espalhando a uma velocidade sem precedentes" e pediu à população para que evitem aglomerações em bares e restaurantes para acompanhar o evento.

Diante do cenário preocupante, Richard Budgett, diretor médico do COI, defendeu que não existe relação entre o aumento da contaminação no Japão e os Jogos Olímpicos. "Os atletas da Vila Olímpica vivem em um mundo paralelo. Pelo que eu sei, não houve um único caso de caso de atleta se espalhando para a população local, e nem um único caso grave ocorreu entre os nossos membros", disse.

Estadão
Publicidade
Publicidade