PUBLICIDADE

Brasil pode ter "boom" de medalhas na 2ª metade da Olimpíada

Na semana final de disputas, Brasil é forte candidato em diversas competições e há chances de bater recorde de 19 pódios, obtido na Rio-2016

31 jul 2021 20h22
| atualizado às 22h07
ver comentários
Publicidade

O Brasil já faturou oito medalhas na primeira metade da Olimpíada de Tóquio e pode pensar em ambicionar bater o recorde de 19 pódios conquistados nos Jogos do Rio, em 2016. A delegação brasileira ainda conta com favoritos ao pódio em dez modalidades, tanto em esportes que o País já apresentou bom desempenho nesta Olimpíada, como o futebol e o skate, quanto em atletas que ainda não estrearam nesta edição - em algumas há possibilidade de conquista de mais de uma medalha.

Ginasta Rebeca pode conquistar mais duas medalhas em Tóquio (Foto: JEFF PACHOUD / AFP)
Ginasta Rebeca pode conquistar mais duas medalhas em Tóquio (Foto: JEFF PACHOUD / AFP)
Foto: Lance!

No futebol masculino, a Seleção Brasileira está a uma vitória sobre o México para garantir ao menos uma prata na modalidade. Na ginástica artística, o Brasil já conseguiu um pódio inédito com Rebeca Andrade e a ginasta ainda participa de mais duas finais - no salto e no solo - nas quais é favorita.

Ainda nas modalidades em que os brasileiros já estrearam nestas Olimpíadas, a natação pode trazer mais uma medalha com Bruno Fratus, que se classificou com o terceiro melhor tempo nas semifinais dos 50 metros livre. O vôlei também entra na lista, a Seleção Brasileira feminina está invicta e a masculina contou com apenas uma derrota na fase de grupos até então.

As quatro duplas brasileiras, duas masculinas e duas femininas, também estão nas oitavas de final do vôlei de praia. Na categoria dos homens, contudo, apenas uma medalha é possível pois, por causa do chaveamento, Evandro e Bruno Schimidt podem enfrentar Alisson e Álvaro nas quartas de final.

No boxe, o Brasil já garantiu ao menos o bronze com Abner Teixera e ainda pode levar mais três pódios com Wanderson Oliveira, Hebert Conceição e Beatriz Ferreira. Os três pugilistas precisam vencer apenas mais uma luta para garantir medalhas em suas respectivas categorias.

Quem também tem chance de medalha é o canoísta Isaquias Queiroz, que rema em duas provas na Olimpíada de Tóquio. Na Rio-2016, o baiano conquistou duas pratas nas mesmas categorias. E o skate, que já trouxe duas medalhas nesta edição na modalidade street, ainda conta com seis atletas no park. Entre eles estão a vice-campeã mundial Yadiara Asp e os medalhistas Pedro Barros, Luiz Francisco e Pedro Quintas.

Na vela, a dupla formada por Martine Grael e Kahena Kunze está no segundo lugar da classificação geral e empatadas em pontos com as líderes da competição. A regata decisiva acontece na madrugada desta segunda-feira, às 2h (de Brasília). Por fim, a nadadora Ana Marcela é uma das favoritas para chegar ao pódio da maratona aquática. A atleta já foi eleita seis vezes a melhor do mundo na competição, mas nunca conquistou uma medalha olímpica.

 

Lance!
Publicidade
Publicidade