PUBLICIDADE

Ex-Barcelona é acusado de destruir mansão de quase R$ 100 milhões

Ex-jogador é processado por proprietário da luxuosa casa em que morou durante três anos na Espanha

15 abr 2024 - 12h46
Compartilhar
Exibir comentários

O meia Arda Turan encara um processo inusitado na Justiça. O proprietário da casa onde o ex-jogador turco viveu por três anos em Barcelona o acusa de ter destruído a mansão avaliada em 18 milhões de euros (R$ 98 milhões).

Foto: Lance!

Na ação, o dono do imóvel cobra 230 mil euros (cerca de R$ 1,2 milhão) em prejuízos. De acordo com o jornal "El Periódico de España", Turan teria deixado de pagar aluguel e provocado diversos danos na mansão.

A perícia feita no local mostrou pedaços de parede arrancados, móveis e eletrodomésticos deteriorados e falta de manutenção em áreas da casa. A mansão fica no bairro de Esplugues de Llobregat e conta com sete quartos e nove banheiros, além de uma sala de cinema personalizada, piscina com borda infinita e um quarto de golfe virtual.

- Quando Arda e seus amigos estavam vendo o futebol e saía um gol, dependendo de quem era, eles jogavam o controle remoto da televisão na piscina. Um controle de mil euros! Deve ter jogado uns 10 ou 15. Deixaram marcas de queimadura de cigarro por todas as partes, inclusive nos móveis - relatou o dono da mansão ao jornal.

O processo ainda corre na Justiça de Barcelona. Apesar de a primeira decisão ter sido favorável ao dono da mansão, o processo precisou ser reiniciado por problemas burocráticos na notificação a Arda Turan. O ex-jogador turco deixou o Barcelona em 2020 e encerou a carreira em 2022. Hoje, ele é treinador do Eyüpspor, da segunda divisão da Turquia.

Lance!
Compartilhar
Publicidade
Publicidade