PUBLICIDADE

“Foram dois minutos sem respirar”, diz técnica que salvou atleta do nado

Anita Álvarez desmaiou ao final da sua apreseção no Mundial de Esportes Aquáticos de Budapeste, na Hungria

23 jun 2022 08h34
| atualizado às 08h35
ver comentários
Publicidade
Anita Álvarez desmaiou ao final da sua apreseção no Mundial de Esportes Aquáticos de Budapeste, na Hungria
Anita Álvarez desmaiou ao final da sua apreseção no Mundial de Esportes Aquáticos de Budapeste, na Hungria
Foto: Lisa Leutner / Reuters

A atenção e o entrosamento entre técnica e atleta foi fundamental para que Andrea Fuentes, comandante da seleção de nado sincronizado dos Estados Unidos, percebesse que havia algo de errado com Anita Álvarez ao final da sua apresentação no Mundial de Esportes Aquáticos de Budapeste, na Hungria, e salvasse a vida da sua pupila.

Álvarez se sentiu mal após encerrar a sua sequência e acabou desmaiando dentro da piscina. A técnica notou algo estranho e pulou na piscina para resgatar a atleta, que foi retirada de maca. 

"Falei “isso não é normal”. Gritei para os socorristas para que pulassem na água, mas não ouviam ou não entendiam. Fui o mais rápido possível, como se fosse uma final olímpica. Quando a tirei, não respirava e tinha a mandíbula muito contraída. Foi um desmaio por esforço. Vimos onde estava o limite", explicou em entrevista para a imprensa.

"Foram dois minutos sem respirar e, com as pulsações a 180, você não quer estar dois minutos sem respirar. Teve um momento que me assustei de verdade e, agora, estamos rindo as duas juntas. Ela está muito bem. Tem que descansar. Amanhã [quinta], vai descansar o dia todo e estará muito bem para a final de equipes", completou.

Apesar do susto, Anita Álvarez terminou na sétima colocação. O ouro ficou com a japonesa Yukiko Inui, a prata com a ucraniana Marta Fiedina  o bronze com a grega Evangelia Platanioti.

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade