PUBLICIDADE

Câncer de pele: cuidados que você deve ter no verão

Dermatologistas alertam sobre os sintomas do câncer de pele e detalham formas de prevenir a neoplasia mais frequente no mundo

14 dez 2022 - 08h07
(atualizado às 17h56)
Compartilhar
Exibir comentários
Câncer de pele: cuidados que você deve ter no verão
Câncer de pele: cuidados que você deve ter no verão
Foto: Shutterstock / Saúde em Dia

O câncer de pele é o tipo mais frequente no Brasil e no mundo, e ele tem como principal causa a exposição excessiva ao sol. Por isso, alertar sobre os riscos do tumor e divulgar as formas de prevenir a doença se torna ainda mais importante a poucos dias do verão. "O sol é intenso no Brasil e as pessoas nem sempre tomam as precauções necessárias para se proteger quando estão ao ar livre", destaca a dermatologista e professora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Dra. Natasha Crepaldi. 

A Dra. Ana Carolina Sumam, também dermatologista e membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), acrescenta que o risco não está somente na exposição à radiação UV na praia e na piscina, mas também durante o dia a dia. "O estresse oxidativo causado por ela tem efeito cumulativo e, ao longo do tempo, isso vai contribuindo para a alteração do DNA das células da pele e desenvolvimento do câncer", explica.

Sintomas

De acordo com a Dra. Natasha, os principais sintomas do câncer de pele são um novo crescimento ou uma mudança em um crescimento existente na pele. Há ainda outros sinais de alerta:

  • Ferida que não cicatriza; 
  • Alteração na verruga;
  • Nova lesão na pele que sangra, forma crostas ou não desaparece.

Ela destaca que manchas de surgimento recente em adultos devem sempre passar por uma avaliação dermatológica. "Se você notar algum desses sintomas, é importante consultar um dermatologista imediatamente", afirma. 

Segundo a Dra. Ana, nem todas as manchas novas são câncer, mas elas devem acender um alerta e, portanto, devem ser investigadas. "Na maioria dos casos, o paciente não sente nada. Apenas vê a lesão, que pode ser uma mancha escura ou não, pode parecer uma espinha ou até mesmo uma casquinha. Um sinal que muda de cor, aumenta de tamanho, apresenta bordas irregulares, tem aspecto assimétrico ou tem tamanho grande é um sinal suspeito, por isso deve chamar atenção", alerta a especialista.

Maneiras de prevenir o câncer de pele

Faltam poucos dias para a chegada do verão e, para conseguir aproveitar sem descuidar da saúde, alguns cuidados são imprescindíveis. A SBD recomenda para a população geral o uso de protetores solares de FPS mínimo de 30. "Deve ser de amplo espectro, isto é, com a proteção UVA de no mínimo metade do FPS. Essa informação deve vir no rótulo como PPD, sendo o mínimo de 15", informa a professora de dermatologia, Dra. Natasha.

Ana acrescenta que é preciso lembrar de aplicar o protetor solar em toda a extensão da pele. "Couro cabeludo, orelhas, mãos, pés, pescoço… enfim, tudo. Também é importante reaplicar de duas em duas horas, além de utilizar um produto com amplo espectro de proteção e muito resistente à água e ao suor", destaca.

As especialistas recomendam ainda o uso de roupas com proteção solar. Bonés e chapéus e óculos escuros (com proteção ultravioleta) são de grande valia. Ficar na sombra também diminui a exposição aos raios solares e, portanto, os riscos de desenvolver câncer de pele.

"As altas temperaturas e o fato de ficar mais tempo ao ar livre, faz com que a necessidade de maior hidratação aumente. Por isso, ingerir muito líquido é muito importante, pois a água é essencial para a maioria das funções celulares, e como a pele é o maior órgão do corpo, para o seu bom funcionamento precisamos estar bem hidratados, ingerindo cerca de 2-3 litros por dia. Se houver maior gasto, com exercícios físicos, por exemplo, a ingestão deve ser ainda maior", acrescenta a Dra. Natasha.

Saúde em Dia
Compartilhar
Publicidade
Publicidade