0

Wall St fecha em queda após tuíte de Trump sobre mais tarifas contra China

1 ago 2019
17h56
atualizado às 18h53
  • separator
  • 0
  • comentários

As principais bolsas de valores dos Estados Unidos tiveram novas quedas nesta quinta-feira, revertendo abruptamente os ganhos iniciais depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, trouxe de volta preocupações sobre a guerra comercial entre Estados Unidos e China ao anunciar que vai impor tarifa adicional de 10% sobre 300 bilhões de dólares em importações chinesas.

Operadores negociam na Bolsa de Valoes de Nova York (NYSE)
31/07/2019
REUTERS/Brendan McDermid
Operadores negociam na Bolsa de Valoes de Nova York (NYSE) 31/07/2019 REUTERS/Brendan McDermid
Foto: Reuters

Após passarem a maior parte da sessão a caminho do melhor dia desde junho, os três principais índices acionários dos EUA tiveram reviravoltas repentinas após o anúncio de Trump pelo Twitter, com compradores rapidamente se transformando em vendedores após o tuíte de Trump.

O mercado de títulos registrou rali após os comentários de Trump, levando os rendimentos dos Treasuries a sua queda mais acentuada em mais de um ano. Os "yields" dos Treasuries de 10 anos recuaram para seu menor nível desde novembro de 2016.

O índice de volatilidade da CBOE, indicador da ansiedade dos investidores, disparou para seu maior nível desde 4 de junho.

A onda de vendas veio na esteira do primeiro corte de juros pelo Federal Reserve em uma década, ocorrido na véspera, e de comentários do chairman do banco, Jerome Powell, que reduziram as expectativas de novos cortes ainda neste ano, na contramão do que é exigido por Trump.

Agora, os investidores voltam a atenção para a divulgação do relatório de empregos ("payroll"), na sexta-feira.

O índice Dow Jones caiu 1,05%, para 26.583,42 pontos. O S&P 500 perdeu 0,90%, para 2.953,56 pontos. E o Nasdaq Composto recuou 0,79%, para 8.111,12 pontos.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade