PUBLICIDADE

Retração da indústria da zona do euro se aprofunda em março, mostra PMI

2 abr 2024 - 07h36
Compartilhar
Exibir comentários

A atividade industrial da zona do euro piorou ainda mais em março, contraindo a um ritmo mais acentuado do que em fevereiro já que a demanda continuou a cair, de acordo com uma pesquisa que, no entanto, mostrou um aumento no otimismo.

O Índice Gerentes de Compras (PMI) final do setor industrial da zona do euro da HCOB, compilado pela S&P Global, caiu para 46,1 em março em relação aos 46,5 de fevereiro. A leitura superou a estimativa preliminar de 45,7 mas ficou abaixo da marca de 50, que separa crescimento de contração, pelo vigésimo primeiro mês.

O subíndice que mede a produção subiu de 46,6 para 47,1 em fevereiro, melhorando em relação à preliminar de 46,8.

"É um pouco desanimador: nos últimos oito meses, a indústria manufatureira vinha subindo gradualmente a escada do PMI de Produção, mas ainda se encontra na escada do porão", disse Cyrus de la Rubia, economista-chefe do Hamburg Commercial Bank.

"No entanto, o progresso para o próximo andar ainda não se concretizou, em grande parte devido ao baixo desempenho das indústrias alemã e francesa."

Os novos pedidos caíram pelo 23º mês, apesar de as fábricas terem cortado seus preços pelo ritmo mais rápido desde novembro. Qualquer sinal de abrandamento das pressões inflacionárias provavelmente será uma boa notícia para o Banco Central Europeu, que está lutando para levar a inflação de volta à meta.

As fábricas de todo o bloco reduziram novamente o número de funcionários, mas, em um sinal de que os gerentes esperam uma melhora, o índice de produção futura, um indicador de otimismo, subiu de 57,1 para 57,4, o valor mais alto desde abril do ano passado.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade